Sexta, 17 de Novembro de 2017

André admite pressão de Temer para apoiar Dilma

24 ABR 2010Por 06h:20
Maria Matheus

O presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB), insiste em ter o apoio do governador André Puccinelli (PMDB) para a pré-candidatura da ex-ministra Dilma Rousseff (PT) à Presidência da República. Segundo Puccinelli, Temer “quer porque quer” que ele apoie Dilma. O deputado federal deve ser candidato a vice-presidente na chapa da ex-ministra. “Eu disse a Temer o mesmo que disse aqui: primeiro vou conversar com o presidente (Lula), depois vou conversar com o grupo político (antes de decidir quem apoiar na sucessão presidencial)”, contou o governador.

No entanto, a aliança do PMDB em nível nacional com o PT e a possível indicação de Temer à vaga de vice de Dilma não deve influenciar a decisão do governador. “Não é porque o Michel poderá ser vice da Dilma que nós somos obrigados a estar lá (no palanque da ex-ministra). E não é porque o Michel não fosse vice da Dilma que eu não poderia estar lá”, frisou.

O governador enfatizou que vai reunir seu grupo político – deputados, prefeitos, vereadores – para apresentar as propostas do PT e do PSDB para, juntos, optarem por um candidato ao Palácio do Planalto. A reunião deve ocorrer no início do próximo mês porque, primeiro, o governador pretende abordar o assunto com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O presidente deve vir ao Estado no dia 30 de abril ou 3 de maio – até a tarde de ontem a informação, na assessoria de imprensa da Presidência,  era que ainda pode ocorrer alteração na data. Lula deve encontrar o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, em Ponta Porã. Puccinelli irá ao município receber o presidente.

Embora tenha dito que não considera “o local apropriado” para conversar sobre aliança política, o governador admitiu  a sua intenção de aproveitar o encontro para tratar do assunto com Lula “se ele puxar conversa”. Caso contrário, deve procurar o presidente “pessoalmente ou por telefone”.

Leia Também