Sábado, 18 de Novembro de 2017

Adolescente assassinado pelo ex-cunhado

1 FEV 2010Por 07h:20
O adolescente D.C.J., de 13 anos, foi assassinado com seis tiros na madrugada de ontem, em Três Lagoas. O crime aconteceu na Avenida Antônio Trajano, na altura do número 1.100, imediações do Comercial Esporte Clube, quando a vítima e a irmã dele, de 17 anos, voltavam para casa. O ex-namorado da irmã é apontado como autor do homicídio. Logo após os disparos, a Polícia Militar e os bombeiros foram ao local e encontraram o adolescente ainda com vida, mas ele acabou morrendo logo após dar entrada no Hospital Nossa Senhora Auxiliadora. D.C.J. foi atingido com dois tiros no braço, dois na barriga, um na cabeça e um no peito. Segundo o depoimento da irmã do menor, o assassino era seu ex-namorado, de 18 anos, que estava inconformado com o fim do relacionamento e culpava seu irmão pela separação. Ela relatou, ainda, que, quando caminhava a pé pela avenida com a vítima, o ex-namorado, de bicicleta, aproximou-se e pediu para falar com ela em particular, e, como seu irmão não permitiu, os dois iniciaram uma discussão verbal. “Meu ex-namorado pediu então para falar com meu irmão e houve um desentendimento entre eles, logo depois só ouvi os tiros”, disse. Conforme testemunhas, o assassino sacou a arma, sem dar à vítima tempo de reação, e disparou seis vezes no adolescente. Após os disparos, o assassino fugiu do local. Policiais foram até a residência do acusado, mas ele não foi localizado. Este é o terceiro homicídio registrado na cidade neste ano de 2010. A ocorrência foi registrada na Delegacia de Ponto Atendimento Comunitário (Depac). Boca de Fumo Ainda na madrugada de ontem, policiais do Serviço Reservado da PM e da Rondas Táticas do Interior (Rotai) fecharam mais um ponto de droga em Três Lagoas. O local era comandado por duas mulheres, Clarice Tenório Santana, 47 anos, e Maria Ivete Campos, 49 anos, no Bairro Interlagos. As duas foram presas em flagrante, depois que uma estudante de 28 anos denunciou a “boca de fumo” ao ser abordada pela polícia próxima ao local. Segundo o depoimento, a estudante comprou duas “trouxinhas” de crack, por R$ 20, numa casa na Rua Eurídice Chagas Cruz, na Vila Nova. Na residência das duas mulheres, a polícia encontrou 33 papelotes de “crack” e mais um tablete de maconha escondidos na cozinha, junto com embalagens plásticas e tesouras. As acusadas foram levadas para a Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac), autuadas em flagrante por tráfico.

Leia Também