Sábado, 18 de Novembro de 2017

Ações de prevenção

24 MAR 2010Por 07h:29
A tuberculose nunca deixou de ser uma patologia importante no País, mas é justamente pelo aumento das doenças que afetam o sistema imunológico que ela voltou a ser foco da atenção da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, que usa a data de hoje para promover ações de prevenção à doença. Em Campo Grande a Sesau está mobilizando, desde a última segunda-feira e até o fim de abril, todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) para “arrastão” de diagnóstico da doença. Segundo Sueli, os agentes de saúde e os comunitários estarão envolvidos na ação para incentivar o grupo de sintomáticos respiratórios a procurar um posto de saúde para realizar exames e tratamento. Contágio Segundo o doutor Renato Rezende, trata-se de uma doença de fácil contágio e que, embora tenha grande incidência nos pulmões, também pode afetar outros órgãos, como rins, gânglios, útero, ossos e meninge. “Embora tuberculose pulmonar seja mais comum, há também a renal, com insistentes infecções urinárias; a glanglionar, que pode ser confundida com linfoma”, exemplifica o especialista. A doença é transmitida por gotículas de saliva contendo o bacilo, que podem se espalhar quando a pessoa infectada tosse, espirra ou fala. “Quanto mais próximo o convívio com a pessoa portadora da tuberculose, maior a probabilidade de transmitir a doença”, enfatiza o médico, acrescentando que cada portador pode contaminar até 10 pessoas por ano. Os organismos mais resistentes acabam encapsulando a doença e transformando-a num tuberculoma. “No raio-X aparece apenas uma mancha branca no pulmão, que pode sugerir um tumor, por isso, a única certeza do diagnóstico é por meio da cirurgia”, explica. Cura A tuberculose é uma doença curável, por meio da administração de antibióticos diários durante seis meses. O diagnóstico e o tratamento são gratuitos. Mas os dois grandes desafios para o tratamento da doença são o diagnóstico precoce e a necessidade de evitar que o tratamento seja interrompido, como mencionado acima. Diagnóstico Os exames indicados para identificar a doença são simples: a análise patológica do escarro e radiografia do tórax. Porém, a dificuldade no diagnóstico ocorre porque os sintomas da tuberculose podem ser facilmente confundidos com uma gripe forte: tosse persistente (seca no início e com sangramento em quadros mais avançados), perda de peso lenta e progressiva, fraqueza física, suores noturnos e uma febre leve durante o período da tarde. O pneumologista Renato Rezende aconselha atenção quando os sintomas começarem a se tornar persistentes. “Ninguém tem tosse e febre gratuitamente, e deve-se sempre procurar ajuda médica quando percebe- se que algo está diferente”, alerta. (SC)

Leia Também