Sábado, 18 de Novembro de 2017

"Achar corpos combate perda", diz psiquiatra

7 JUN 2009Por 17h:28
     

Da redação

Reunidos num hotel no Rio, parentes das vítimas do acidente com o voo 447 tiveram reações díspares ao saber do resgate de corpos. Eles receberam a informação antes de ela ser divulgada oficialmente. "Para alguns é um desespero, porque tem gente que acredita em sobreviventes. Para outros, é um alívio. Para mim, é positivo ter uma coisa concreta", disse Vasthi Esther van Sluijs, mãe de Adriana Francisca van Sluijs, 40, funcionária da Petrobras que estava no voo.

O advogado Marco Túlio Moreno Marques, que perdeu os pais, se disse aliviado: "Achei bom porque desde segunda-feira estávamos num vácuo, sem evidências. Agora é possível começar uma investigação e podemos saber o que aconteceu".

Segundo ele, não foram dados detalhes sobre a idade dos corpos ou as condições em que se encontram. O advogado não tem esperanças de rever os pais --José Gregório Marques, 71, e Maria Teresa Moreno, 66. Mas disse que algumas pessoas ainda têm "certeza absoluta" de que os parentes estão vivos.

"Meu filho está em algum lugar, está precisando que alguém vá buscá-lo. Não me digam que sou louca, por favor. É a fé de uma mãe", disse a aposentada Maria Eva Marinho, mãe do mecânico Nelson, 40.

"Ele trabalhava numa empresa italiana que exigiu que fizesse curso na Holanda de sobrevivência debaixo d?água. Pode existir uma chance. Milagres acontecem", completou o pai, Nelson Faria Marinho.

Coleta

Peritos da Polícia Federal começaram a recolher material genético dos parentes para ajudar na identificação.

A coleta de amostras de sangue e de fios de cabelo é realizada no próprio hotel, na Barra da Tijuca (zona oeste), onde funciona o centro de atendimento às famílias. Também foram feitas perguntas sobre tatuagens, piercings e outros sinais.

Funcionários da Air France estão em contato com as famílias para cuidar do seguro de vida. "A Air France pode dar uma declaração de que eles estavam no voo para ser usada em banco para fechamento de conta, para evitar fraude com o CPF etc", disse Marco Moreno Marques. (informações da Folha)

Leia Também