Sexta, 17 de Novembro de 2017

A visita da Madonna

13 ABR 2010Por 20h:48
Quando veio ao Brasil em fevereiro último, às vésperas do carnaval (10/02/2010), a cantora pop ítalo-americana Madonna (51) visitou o então governador de São Paulo (68) e atual pré-candidato à Presidência da República, José Serra (PSDB/SP), e tomou chá com ele e a esposa Monica Serra no Palácio dos Bandeirantes. Na ocasião, a explicação para o inusitado encontro foi de que era preciso ampliar a parceria entre o governo paulista e a ONG “Success for Kids” (SFK), entidade patrocinada pela diva, e cujo objetivo é de aumentar a autoestima de crianças carentes em escolas públicas da periferia da cidade. Mas será que o objetivo principal da visita da rainha pop americana era realmente esse, ou haveria “segundas intenções” por trás disso?  

Segundo o Globo On-Line (10/02/2010), após o chá, Serra revelou a mais de 50 jornalistas presentes, que o tema de sua candidatura à Presidência da República foi “mais ou menos” abordado por Madonna. Mas logo depois jogou balde de água fria na conversa: “Não vou falar senão parece oportunismo”. Em seguida, porém, tanto a filha dele, Verônica, quanto o secretário estadual de Educação, Paulo Renato de Souza, foram categóricos:“Ela (Madonna) queria saber se ele vai ser ou não candidato”. Ainda conforme a mesma fonte, José Serra ficou impressionado com a preocupação de Madonna sobre os problemas no mundo: “Ela disse que quer muito ajudar a Humanidade, principalmente as crianças”, acrescentou. Ao final do encontro, após a troca de presentes, Madonna posou ao lado de Serra para fotógrafos e cinegrafistas e não dispensou os enormes óculos escuros e o chapéu panamá. O namorado dela, Jesus Luz (22), não foi a São Paulo.

Para os “Serristas”, a visita de Madonna foi uma excelente jogada de marketing que serviu para alavancar a até então titubeante pré-campanha de Serra à Presidência da República. Para os “Dilmistas”, no entanto, a visita da pop star foi um verdadeiro despautério. Josias de Souza, por exemplo, indagou em seu blog: “Que pode surgir de um encontro do vazio com o oco? Ora, do nada só pode surgir o nada. Nesta quarta (10/02), o vazio pop de José Serra encontrou-se com o oco político de Madonna. Que resultou da reunião? Patavina”. E Luiz Carlos Azenha, (11/02/2010), não deixou por menos: “Serra não fala sobre a falta de água para 800 mil paulistanos, mas sobre a Madonna ele fala”. E sob o título “Madonna ganhou US$ 1 milhão para fazer o favor de visitar Serra”, Daleuson Menezes afirma em seu blog (17/02): “Desvendado o súbito interesse da cantora Madonna em visitar o governador demo-tucano José Serra (PSDB/SP). A cervejaria AMBEV, na noite de sexta-feira, 12, doou 1 milhão de dólares para a ONG Success for Kids, da cantora”.

Disputas à parte, o fato é que não se pode menosprezar o impacto que a visita pré-carnavalesca da pop star americana teve e terá nas eleições presidenciais deste ano. Afinal, Madonna é personalidade feminina marcante, um ícone da música pop internacional, possui um fã-clube imenso tanto aqui quanto alhures e fortes ligações com o mundo empresarial nacional e mundial. Tanto é assim que antes de se encontrar com Serra ela almoçou com o banqueiro Luiz Octávio Índio da Costa e adorou o sorvete de tangerina servido na sobremesa! (Vivi Mascaro, iG Gente,10/02). Além disso, em novembro do ano passado, ela recolheu para os cofres da ONG SKF 7 milhões de dólares doados pelo megaempresário e bilionário Eike Baptista! Por fim, calcula-se que só no Brasil Madonna já arrecadou cerca de US$ 12 milhões para a SFK! E quando perguntaram ao namorado dela, Jesus Luz, em entrevista que ele concedeu na “Marquês de Sapucaí” quando do desfile das Escolas de Samba do Rio de Janeiro, se, em razão disso, os empresários brasileiros eram generosos, ele não titubeou: “O povo brasileiro tem o coração generoso e é muito “open-minded” (Estadão.com.br /17/02/2010). 

Do ponto de vista de simbolismo político, porém, é provável que a visita de Madonna ao ex-governador Serra tenha um significado muito mais amplo que aquele divulgado pela grande mídia nacional na ocasião. É que a exemplo do que ocorreu nas eleições presidenciais chilenas deste ano, com a vitória do megaempresário e bilionário conservador Sebastián Piñera, é possível que o grande capital internacional resolveu investir todas suas fichas na candidatura Serra – e via Madonna! – num projeto político mais à direita para o Brasil. Em apoio a essa idéia, apesar de não haver registro de encontros dela com Piñera, está o fato de que a rainha pop circulou com bastante freqüência pelo Chile nos últimos dois anos. Em dezembro de 2008, deu show para 150 mil pessoas no Estádio Nacional de Santiago (Agência Estado,12/12/08), e mais recentemente (23/10/09) seu namorado Jesus Luz lançou como DJ uma grife brasileira por lá! (Globo.com).

Alguns aspectos, porém, contrariam a teoria acima. O primeiro é que apesar da forma truculenta como Serra tratou recentemente a greve dos professores da rede estadual de São Paulo (Blog Terra Brasilis,26/03), ele foi presidente da UNE (1963) e exilado político no Chile (1964), após o golpe militar no Brasil. Além disso, ele não é megaempresário nem possui talvez um décimo dos bens materiais que Piñera tem. Por fim, é difícil pensar na bela Madonna fazendo parte de uma conspiração política, né? Para definir melhor, portanto, o perfil político do pré-candidato tucano, talvez fosse interessante perguntar a alguém da chamada “direitona” (no caso de polarização):“Em quem você votaria, caso as eleições presidenciais fosse hoje, Serra ou Dilma?”. Ela decerto responderia: “Entre o ‘mal’ (Dilma) e o ‘mal-menor’ (Serra), voto no último.”

Hermano de Melo, escritor e acadêmico de jornalismo.

Leia Também