Sábado, 18 de Novembro de 2017

À revelia do PDT, Artuzi fará ato para pedir votos para André

30 JUL 2010Por 08h:15
Fábio Dorta, de Dourados

O prefeito de Dourados Ari Artuzi (PDT) vai desafiar a orientação de seu partido e fazer campanha para o governador André Puccinelli (PMDB), que disputa a reeleição. O PDT está coligado com o PT, apoia a candidatura do ex-governador José Orcírio dos Santos (PT) e o comando do partido já ameaçou punir os infiéis.
Amanhã, o governador fará sua primeira agenda em Dourados desde que a campanha eleitoral começou oficialmente. E o primeiro ato previsto é exatamente um encontro com lideranças políticas, que está sendo organizado por Artuzi nas dependências do Clube Harmonia, que está localizado no centro da cidade.
Ainda em Dourados, Puccinelli vai realizar uma caminhada pelo centro da cidade, começando pela Avenida Marcelino Pires. A agenda será encerrada com a inauguração do comitê oficial de campanha, que fica na Avenida Hayel Bon Faker, no Jardim Água Boa, que é o bairro mais populoso do município.
Por outro lado, hoje, quem pedirá votos em Dourados é o ex-governador José Orcírio dos Santos.
 
Apoio polêmico
O apoio de Artuzi à candidatura de Puccinelli poderá trazer sérios problemas ao prefeito, que já enfrentou um processo de perda de mandato por infidelidade partidária quando era deputado estadual exatamente por ter trocado o PMDB pelo PDT. Agora, contrariando as orientações do partido, ele anunciou apoio a Puccinelli.
Quando foi formalizada a aliança com o PT, o comando do PDT anunciou que não iria tolerar casos de infidelidade por parte de seus filiados. O deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT), que é candidato ao Senado na chapa de Orcírio, acusou várias vezes Puccinelli de pressionar os prefeitos de partidos que não estão na coligação do PMDB a apoiá-lo, citando especificamente o caso de Artuzi.
Mesmo assim, Dagoberto deixou claro que, depois de realizadas as convenções, o partido não iria tolerar “traições”. Com isso, Artuzi corre o risco de sofrer outro processo de perda de mandato pelo apoio ao governador.
Apesar da polêmica, o prefeito não parece ter medo de perder o mandato. Ele afirmou que não se sente obrigado a apoiar a candidatura de Orcírio, alegando que o PDT não tem candidato próprio ao Governo do Estado.
Sobre o apoio a Puccinelli, Artuzi disse que o governador cumpriu todos os compromissos assumidos com ele para a realização de obras em Dourados. Ele citou a reforma do Aeroporto Municipal, o início da Perimetral Norte e a liberação de R$ 10 milhões para obras de recuperação da malha asfáltica.

Leia Também