Segunda, 20 de Novembro de 2017

A luta de um fumante contra o vício

29 MAR 2010Por 10h:11
Parar de fumar é uma escolha, mas não são poucas as dificuldades encontradas por aqueles que têm coragem de fazê-la. O contador Flodoaldo Modesto de Medeiros é fumante há 30 anos. Ele convive diariamente com os problemas causados pelo hábito. E não são apenas os problemas de saúde que o incomodam, mas as dificuldades sociais que o cigarro ocasiona. “Minha mulher não fuma e já tivemos sérios problemas em razão do vício. Sinto que estou sempre cheirando a cigarro e isso faz com que eu queira me isolar”, confessa. Medeiros é um dos defensores da Lei Antifumo, por acreditar que não-fumantes devem ter seu espaço e sua saúde respeitados. “Procuro sempre me a fa s t a r de q u e m n ã o fuma quando vou acender um cigarro. Ninguém precisa respirar minha fumaça”, argumenta. De acord o c om o Instituto Nacional do Câncer, sete brasileiros morrem diariamente em decorrência de doenças causadas pela exposição passiva à fumaça do tabaco. Anualmente, este número chega a, pelo menos, 2,6 mil pessoas. A lei, segundo o contador, também pode ser mais um estímulo para quem deseja deixar o vício. “Não vou deixar de ir aos lugares que eu gosto porque não poderei fumar. É uma forma de deixar o cigarro de lado por alguns momentos”, afirma. Atualmente, Medeiros realiza exames para iniciar seu tratamento gratuito por meio do Programa Antitabagismo do Ministério da Saúde. Aos 52 anos, com problemas de hipertensão e circulação, Medeiros afirma sentir o estrago que o tabagismo fez em s u a v i d a . “Há algum tempo sofri uma ulceração na perna esquerda por cau sa do tabaco”, lembra. Me smo j á “Não vou deixar de ir aos lugares que eu gosto porque não poderei fumar. É uma forma de deixar o cigarro de lado por alguns momentos” tendo perdido uma irmã em consequência de um câncer no esôfago, decorrente do tabagismo, o contador não consegue deixar o fumo. “Parei de fumar durante dois anos, mas, após passar por um período de grande dificuldade, voltei”. Ele conta que embora haja muita informação sobre os malefícios do cigarro, abandonar o tabagismo não depende apenas da força de vontade. “Procurei o programa do Ministério da Saúde para obter ajuda, pois quero minha saúde de volta. É muito difícil deixar o cigarro”, finaliza. (TA) Serviço – Para ingressar no Programa Antitabagismo basta procurar uma unidade básica de saúde. Outros programas de auxílio contra o tabaco podem ser encontrados na Santa Casa ( 3322-4000) e no Hospital Adventista do Pênfigo (3323- 2000).

Leia Também