Sábado, 25 de Novembro de 2017

Saúde

A alergia e seus tipos

5 JUL 2010Por 06h:20
Daniela Pessoa, Bolsa de Mulher

Alergia é um nome comum dado a um grupo de enfermidades que atingem uma grande quantidade de pessoas no mundo inteiro. Sua ocorrência cresce nos grandes centros urbanos em razão da maior concentração de poluição e poeira. É ocasionada por uma hipersensibilidade do corpo a certas substâncias e/ou agentes físicos e acontece quando uma pessoa susceptível é exposta a alérgenos (substâncias desencadeadoras de alergia) existentes no ar, em contato com a pele, pelo consumo de certos alimentos, por alterações de temperatura.
Ela tem várias manifestações, como por exemplo urticária, que se caracteriza por coceira e grandes placas avermelhadas no corpo, acontecendo em geral pela ingestão de certos alimentos (especialmente camarões, frutos do mar, alimentos com corantes e chocolates). Nas alergias alimentares, podem acontecer também manifestações gastrointestinais, como vômitos, diarreia e cólicas. Além dessa manifestação podemos encontrar também:

Dermatites: diferentes apresentações de doenças de pele, devidas a várias causas e com diferentes tratamentos.

Dermatite seborreica (seborreia): é uma lesão que ocorre no couro cabeludo, na face e em algumas outras partes do corpo, ricas em glândulas sebáceas, caracterizada por vermelhidão, descamação oleosa e coceira (prurido). Acredita-se que o fungo Malassezia furfur contribua para essa situação, pois normalmente habita os folículos pilosos. É mais comum nas crianças nos primeiros três meses de vida.

Dermatite atópica: embora a dermatite atópica não seja exatamente uma alergia, sua incidência é maior em pessoas alérgicas. Provavelmente há uma desregulação do sistema imunológico, causando um fenômeno de sensibilização cutânea. As lesões podem ser úmidas ou secas (também chamadas de eczemas), ou encontrarem-se em diferentes estágios, são mais frequentemente encontradas na face e couro cabeludo, no pescoço, face interna dos cotovelos, atrás dos joelhos em nas nádegas. A coceira ocorre com frequência e é importante. Eventualmente, alergias alimentares podem desencadear episódios de dermatite atópica e estados emocionais alterados, como tristeza, ansiedade ou angústia podem piorar a doença.

Dermatite de fraldas (ou amoniacal): popularmente conhecida como “assadura” - É a irritação da pele causada pelo contato prolongado com a urina e fezes das fraldas. É comum acontecer uma infecção secundária, causada por fungo (Candida albicans, geralmente), neste caso, a infecção chama-se de candidíase (ou monilíase), ou por bactérias. As lesões caracterizam-se por vermelhidão de pele, com descamação, aspecto brilhante e, eventualmente, com pontinhos elevados (pápulas) e, em geral, ficam restritas às regiões cobertas pelas fraldas.

Dermatite de contato: o sistema imune reage ao contato direto com o alérgeno, produzindo uma reação alérgica no local em que esse contato ocorreu. Por exemplo, uma criança com alergia ao níquel (muito usado em bijuterias), que use um brinco desse material, vai desenvolver uma lesão na orelha, no local onde foi usada a bijuteria.

Rinite alérgica: caracterizada por espirros, secreção nasal intermitente ou constante, prurido nasal e/ou obstrução nasal. Causada por alérgenos presentes na poeira (onde se encontram os ácaros), na poluição, em produtos como desinfetantes, inseticidas, perfumes e por fungos (como o mofo).

Conjuntivite alérgica: olhos irritados, com vermelhidão e secreção lacrimal.
Asma: tosse crônica (geralmente seca), falta de ar, cansaço são alguns dos sintomas de alergia respiratória, que também pode ser provocada por inúmeras substâncias, a mais comum é a poeira, mas também mudanças de temperatura, estresse emocional, exercícios, além de infecções virais.

Choque anafilático (ou anafilaxia): É uma reação alérgica muito intensa e grave que começa alguns minutos após a exposição a uma substância alergênica ou antígeno. Ocorre em indivíduos previamente sensibilizados, ou seja, após uma 2ª exposição. Estes antígenos desencadeiam a liberação de substâncias (histamina, leucotrienos) pelo organismo e estas podem levar rapidamente a vários efeitos graves. Os principais agentes causadores são venenos de insetos, alimentos (ovos, frutos do mar, nozes, amendoim, chocolate), hormônios (insulina), antibióticos (penicilinas, cefalosporinas, anfotericina B, aminoglicosídeos), anestésicos locais (lidocaína, procaína) e materiais de contraste radiológico.

Leia Também