TST julga dissídio coletivo sobre greve dos Correios

AGÊNCIA BRASIL11 de Outubro de 2011 | 15h41

Começou há pouco a audiência para julgar o dissídio coletivo dos trabalhadores dos Correios, que estão em greve há 28 dias. O processo será relatado pelo ministro Maurício Godinho Delagado. Antes do julgamento do dissídio, o Tribunal Superior do trabalho (TST) tentou uma conciliação entre as partes por três vezes, mas não foi possível chegar a um acordo. Ontem, em reunião à noite no TST, os grevistas mantiveram a decisão de não aceitar os termos da proposta apresentada pelo tribunal.

Os funcionários recusaram a proposta de reajuste linear de 6,87% do salário e dos benefícios, o abono imediato de R$ 800 e aumento real de R$ 60 a partir de janeiro de 2012. A principal divergência é em torno do desconto dos dias parados.

A proposta da empresa é descontar seis dias em 12 parcelas a partir do próximo ano e os demais dias de greve seriam compensados com trabalho extra nos fins de semana e feriados. A proposta não foi aceita pelos servidores, que querem a compensação de todos os dias de greve sem desconto de salário.

Segundo o presidente do TST, ministro João Oreste Dalazen, o julgamento do dissídio coletivo poderá trazer prejuízos à categoria, pois a jurisprudência que o Tribunal tem sobre a matéria indica o desconto de todos os dias de paralisação.

Comentários
Mais de Brasil/MundoBrasil tem 1 milhão de abortos por ano, caso Jandira vira símbolo e ganha repercussão internacionalclínicas clandestinasBrasil tem 1 milhão de abortos por ano, caso Jandira vira símbolo e ganha repercussão internacionalleilãoOperadoras Claro, TIM e Vivo levam os 3 lotes nacionais do 4G As operadoras Claro, TIM e Telefónica/Vivo arremataram nesta terça-feira (30) os três lotes nacionais...edes sociaisOAB-CE pede identificação de autores de frases ofensivas contra Miss Brasil O presidente em exercício da Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará (OAB-CE), Ricardo Bacelar, assinou nesta...eleições 2014Eleitor não pode ser preso a partir desta terça-feira (30) A partir das desta (30) até as 17h do dia 7 de outubro, nenhum eleitor pode ser preso ou detido no Brasil, devido...
 Últimas Notícias  


  • Assinaturas:
    • (67) 3323-6100
  • Publicidade:
    • (67) 3320-0023
    • (67) 3323-6090
  • Empresa:
    • (67) 3323-6090
    • (67) 3323-6059
 Plataforma Desenvolvimento© Correio do Estado S/A. Todos os Direitos Reservados.