Manicure teria matado menino por fim de romance com pai dele

TERRA27 de Maro de 2013 | 12h20
Divulgação Divulgação

A Polícia Civil do Rio de Janeiro investiga um suposto romance entre a manicure Suzana do Carmo de Oliveira Figueiredo, 22 anos, e o empresário Heraldo Bichara Filho - pai de João, 6 anos, que foi morto pela mulher na segunda-feira (25), em Barra do Piraí (RJ). A suspeita é de que Suzana tenha matado o menino por vingança após o fim do relacionamento com Heraldo. A investigação apura se a manicure engravidou do empresário e fez um aborto, há cerca de três meses, segundo o jornal O Globo.

Suzana confessou que sequestrou João Felipe Eiras Santana Bichara na escola onde ele estudava, o Instituto de Educação Franciscana Nossa Senhora Medianeira, e o levou ao Hotel Luiz, no centro da cidade, onde o asfixiou com uma toalha. Ela carregou o corpo até a própria casa, tirou as roupas do menino e o colocou em uma mala. A manicure disse à polícia que queria "dar um susto" no pai do garoto, mas que a ação terminou em tragédia, e afirmou estar arrependida.

Ela disse que teve ajuda de um funcionário do hotel: "coloquei a toalha nele, tapando a via respiratória com a mão. E como ele batia os pés, o cara pegou o lençol e amarrou as pernas dele". Suzana ficou presa na delegacia da cidade, onde a segurança foi reforçada devido ao risco de tentativas de linchamento. A manicure foi transferida para o Complexo de Presídios de Gericinó, o chamado presídio de Bangu, sob vaias de cerca de 100 pessoas.

Comentários
Mais de Café da manhã está até 25% mais caro em Campo GrandeSEU BOLSOCafé da manhã está até 25% mais caro em Campo GrandeDatafolha: Dilma tem 52%, e Aécio, 48% dos votos válidosPESQUISADatafolha: Dilma tem 52%, e Aécio, 48% dos votos válidosNEGÓCIOSAssociação Comercial abre inscrições para missão técnica à maior feira de varejo do mundo Empresas do comércio, indústrias e representantes do setor de serviços já contam com a...STFDelação premiada deve ser usada na medida certa, diz BarrosoPara ministro, mecanismo não pode ser usado de forma desproporcional
 Últimas Notícias  


  • Assinaturas:
    • (67) 3323-6100
  • Publicidade:
    • (67) 3320-0023
    • (67) 3323-6090
  • Empresa:
    • (67) 3323-6090
    • (67) 3323-6059
 Plataforma Desenvolvimento© Correio do Estado S/A. Todos os Direitos Reservados.