Google Brasil divulga ONGs finalistas

FOLHAPRESS 1 de Maio de 2014 | 15h15

O Google divulgou os dez projetos finalistas da versão brasileira do concurso Desafio de Impacto Social, entre os quais quatro receberão R$ 1 milhão cada para executar a ideia.

Um dos premiados será eleito por votação on-line (no site) que vai até o dia 8 de maio, quando os outros três serão selecionados por um júri durante evento em São Paulo.

O Brasil é o terceiro país a receber o concurso, chamado Google Impact Challenge nos dois onde já teve edições Reino Unido e Índia, ambos no ano passado. Mais de 700 organizações se inscreveram, entre 10 de fevereiro e 13 de março deste ano.

Entre os classificados, há ONGs já bastante conhecidas, caso do ISA (Instituto Socioambiental), e menores, como o Instituto Mamirauá, sediada na cidade amazonense de Tefé e que visa o desenvolvimento de comunidades ribeirinhas no rio Solimões.

Os jurados são o apresentador de TV Luciano Huck, o músico MV Bill, Viviane Senna (irmã de Ayrton Senna e diretora da ONG de mesmo nome), Josué Gomes da Silva (empresário e vice-presidente da Fiesp) e Jacqueline Fuller (diretora do braço de filantropia do Google).

Durante o evento da semana que vem, todos os finalistas terão alguns minutos para se apresentar em palco ao júri. O eleito por voto popular só será divulgado ao final do encontro.

Para o Google, o número de 751 projetos inscritos é maior do que o esperado, apesar de não superar o desafio indiano, que teve cerca de mil submissões.

Ao se inscrever, os grupos tiveram de detalhar como planejavam aplicar o dinheiro necessariamente "para causar um impacto social" e que use tecnologia para isso em uma proposta orçamentária, que podia contemplar salários. O desenrolar dos projetos vencedores será acompanhado pelo Google ao longo de um período de um a três anos, conforme o estipulado pelos próprios inscritos.

O Google mantém uma página com exemplos de projetos vencedores do concurso em outros países.

A próxima edição do concurso tem como foco a região de San Francisco, nos EUA.

Finalistas:
- Associação Juntos com vc: site de arrecadação de fundos para projetos de ONGs que funciona no modelo de financiamento coletivo. O dinheiro seria usado para expandir a plataforma e divulgar a "cultura" do chamado "crowdfunding".

- Associação O Eco: grupo de jornalistas que mantém portal de notícias de cunho ecológico. A ideia seria instalar uma rede de 80 sensores para monitorar a qualidade da água em quatro grande capitais da Amazônia (Belém, Manaus, Porto Velho e Rio Branco).

- Conservation International do Brasil: a ideia da organização é criar um aplicativo destinado a pescadores que residem nas 22 reservas extrativistas, por meio do qual potenciais compradores possam atestar a procedência do peixe.

- Geledés Instituto da Mulher Negra: propõe criar um aplicativo a fim de coibir a violência contra mulheres. O app teria um "botão de pânico" para acionar uma pessoa cadastrada e solicitar ajuda a ela e informações como dicas e a localização de delegacias.

- Instituto Igarapé: a organização pretende mapear a violência praticada contra crianças no Recife, no Rio de Janeiro e em São Paulo por meio do que chama de Child Security Index (índice de segurança infantil), baseado em pesquisas realizadas com a ajuda de um aplicativo que seria desenvolvido.

- Instituto Mamirauá: a ONG quer criar uma máquina de gelo alimentada por energia solar a fim de conservar alimentos e pescado a ser vendido e que seria usada por comunidades isoladas na Amazônia.

- Instituto Socioambiental: o grupo criaria "mini-usinas" para processar cerca de cem itens coletados na floresta amazônica para munir povos indígenas e outras populações locais de uma ferramenta para comercializar produtos do bioma. Há um projeto-piloto em Altamira (Pará).

- Instituto Zero a Seis: a ideia é que mães de bebês pequenos e gestantes recebam por SMS informações sobre como propiciar o desenvolvimento dos filhos. É baseado em um projeto similar nos EUA, chamado "Text4Baby".

- Meu Rio: a organização pretende criar o que chama de Rede Minha Cidade programas para PC e aplicativos de celular que permitiriam ao usuário participar da formulação de políticas públicas em 20 cidades brasileiras.

- Open Knowledge Brasil: a ONG criaria visualizações dos gastos gos governos federal, do Estado de São Paulo e da prefeitura paulistana para facilitar a compreensão da "máquina pública" e promover debates acerca do uso do dinheiro arrecadado com impostos. 

Comentários
Mais de EconomiaNegóciosCaravana de Eldorado participou da Feira do Empreendedor Uma caravana formada por 15 empresários de Eldorado participou da Feira do Empreendedor do Sebrae-MS, realizada do...Débito não autorizado é a principal queixa de clientes
de bancos e financeiras
Dessas queixas, 93 foram registradas contra o Santander, 79 contra a Caixa Econômica Federal e 69 contra o Banco do Brasil
Estado amplia em 42% produção de pescado neste anoAUMENTOEstado amplia em 42% produção de pescado neste anoPercentual de famílias endividadas sobe para 63,6%agostoPercentual de famílias endividadas sobe para 63,6%
 Últimas Notícias  


  • Assinaturas:
    • (67) 3323-6100
  • Publicidade:
    • (67) 3320-0023
    • (67) 3323-6090
  • Empresa:
    • (67) 3323-6090
    • (67) 3323-6059
 Plataforma Desenvolvimento© Correio do Estado S/A. Todos os Direitos Reservados.