Segunda, 22 de Maio de 2017

SAÚDE

Fonte de vitaminas, peixe ainda é pouco consumido no Centro-Oeste

13 NOV 2011Por BEATRIZ LONGHINI13h:05

Um estudo da Organização Mundial de Saúde (OMS) revelou que no Centro-Oeste a população come apenas 1,62 kg de peixe por ano, quando que o recomendado é que seja ingerido 12 kg por pessoa, pelo menos 1 kg por mês.

Os dados são preocupantes já que o peixe é um alimento de alto valor nutricional, por ser fonte de minerais, como cálcio, fósforo, magnésio e selênio, além das vitaminas A, D, E e complexo B.

De acordo com a nutricionista Nathália Librelotto Lauretto o ideal é que o consumo de peixe seja feito pelo menos 2 vezes por semana. “Além de ser fonte de ômega-3, um ácido graxo que auxilia na redução do colesterol e triglicérides, reduzindo os riscos de doenças cardiovasculares, ele atua nas células do sistema nervoso melhorando a capacidade de concentração, memória e alterações de humor, além de exercer forte influência no fortalecimento do sistema imune”, explica.

Os melhores peixes para consumo são aqueles que tem um alto teor de proteínas e uma reduzida concentração de gorduras saturadas, como o salmão, arenque, truta, sardinha e o atum. “Apesar do processo de defumação não reduzir o valor nutricional do peixe, recomenda-se que o consumo de peixes enlatados seja moderado devido ao alto conteúdo de sódio, nutriente que em excesso provoca retenção de líquidos e pode aumentar a pressão arterial”, recomenda Nathália.

Como comprar?
Segundo a nutricionista é importante comprar o peixe sempre congelado e observar alguns sinais que indicarão a integridade e qualidade como: carne firme, escamas aderidas ao corpo, olhos salientes e brilhantes, guelras avermelhadas, brilhantes e não-viscosas, além do odor característico. “Existem diversas formas de se consumir o peixe, porém é interessante dar preferências às preparações assadas, grelhadas, molhos leves, acompanhado por um bom prato de salada e um tipo de cereal como o arroz”, ressalta.

Orientações para o congelamento
- Nunca congelar novamente um pescado que já foi descongelado.
- O ideal é congelar peixes inteiros sem as vísceras, uma vez que a pele é a melhor proteção do peixe.
- Nunca congelar diversas espécies em um mesmo recipiente ou embalagem. Separá-los em diferentes recipientes e de preferência, identificá-los com uma etiqueta com a data do congelamento.
- Sempre proteger o pescado com filme e sacos apropriados de primeiro uso.
- Não sobrecarregar o freezer durante congelamento.
(Fonte: Anvisa) 

Leia Também