Domingo, 20 de Agosto de 2017

MENORES INFRATORES

Assistência religiosa nas Uneis tem predomínio das Igrejas Evangélicas

27 MAR 2011Por FAUSTO BRITES09h:20

As Igrejas Evangélicas têm predomínio, em todo o Estado, na assistência religiosa nas Unidades de Educacionais de Internação (Uneis) destinados a adolescentes infratores. Este é um dos resultados da pesquisa realizada pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) por meio do Programa Escola de Conselhos (Preae/UFMS), com o governo federal e o Instituto de Estudos da Religião (Iser).

Segundo o levantamento, 41 agentes atuam em todas as unidades dentro de algum grupo religioso. Atualmente três religiões desenvolvem assistência dentro das unidades educacionais do Estado. Dentre elas, a Protestante/Evangélica tem grupos instalados em todas as oito Uneis. A Católica em 37,5%, equivalente a três unidades e a espírita, 25%, presente em duas Uneis. Os grupos religiosos são 19, correlatos a 15 instituições (igrejas) mapeadas, distribuídas pelas tradições religiosas presentes atualmente.

A Assembléia de Deus lidera com três grupos atuantes, seguida pelo Ministério Templo de Missões Êxodo e do Evangelho Quadrangular, com dois grupos cada. Demais igrejas como Peniel, Presbiteriana Independente do Brasil, Capela São Vicente Paloti, Paróquia Senhor do Bonfim, Pastoral São João Bosco, Escola da Bíblia, Igreja do Nazareno, Centro Espírita Anália Franco, Grupo Assistencial Espírita "A Candeias" e o Grupo da Fraternidade Espírita José Xavier, trabalham com apenas um grupo.

Pesquisa

A pesquisa foi realizada entre os meses de março e abril do ano passado, em oito unidades de internação, localizadas nos municípios de Campo Grande, Corumbá, Dourados, Ponta Porã e Três Lagoas. Trata-se de um relatório parcial apresentado ao Iser como parte da pesquisa nacional "Assistência Religiosa no Sistema Socioeducativa Brasileiro", para analisar o cenário geral da prestação da assistência religiosa nas cinco regiões brasileiras, observando as dificuldades comuns e as especificidades regionais em oferecer a assistência religiosa aos adolescentes em conflito com a lei.

O trabalho em Mato Grosso do Sul foi coordenado pela integrante do Programa Escola de Conselho da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), psicóloga Sandra Amorim. Ela lembra que as atividades religiosas são um direito de quem está na privação de liberdade e é garantido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). "Mato Grosso do Sul foi um dos Estados escolhidos por ser referência ao trabalho que vem sendo desenvolvido nas Uneis, com cursos de formação continuada, cadastro de entidades religiosas nas unidades, entre outros", disse.

De acordo com informações da SAS, o relatório parcial da pesquisa foi encaminhado ao Rio de Janeiro, para a sede do Instituto de Estudos da Religião (Iser), que finalizará o estudo nacional sobre o tema e publicará um livro contendo as fotos e informações da pesquisa.

Credenciamento

A Superintendência de Assistência Socioeducativa (SAS), órgão da Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), que administra e coordena as Uneis do Estado, criou em fevereiro de 2010 resolução normatizando este trabalho dentro das unidades de internação. O objetivo é credenciar os voluntários para que sejam conhecidos pelos agentes que trabalham na unidade e pela direção, otimizando o acesso de entidades religiosas na assistência de adolescentes das Uneis.

"Atividades dessa natureza são muito importantes porque trabalham a situação atual dos adolescentes, falam sobre suas vidas e fortalecem suas crenças e valores", ressaltou a gestora de ações socioeducacionais da (SAS), Simone Menezes de Faria.

 Fonte: Governo do Estado

Leia Também