PREVIDÊNCIA

Azambuja quer aprovação da reforma previdenciária ainda neste mês

A ideia é aumentar de 11% para 14% a alíquota previdenciária

8 NOV 2017 • POR MARESSA MENDONÇA E YARIMA MECCHI • 11h43
Expectativa dp governador com a reforma é reduzir o deficit de R$ 83,7 milhões para R$ 48,6 milhões por mês - Bruno Henrique/Correio do Estado

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), espera que o texto da Reforma da Previdência seja votado pela Assembleia Legislativa ainda este mês. O projeto deve aumentar de 11% para 14% a alíquota previdenciária e de 22% para 28% a patronal.

“Eu espero que sim, mas essa é uma discussão que a Assembleia tem que fazer”, respondeu Azambuja ao ser questionado sobre a expectativa de a reforma ser aprovada ainda em novembro.

O texto foi entregue aos deputados estaduais no fim do mês passado.

A expectativa da administração do Estado com a reforma é reduzir o deficit de R$ 83,7 milhões para R$ 48,6 milhões por mês.

“A votação da previdência é para o Estado não é para o Reinaldo Azambuja que é hoje o governador. É para o Estado”, declarou.

Com o aumento na contribuição dos servidores, o Estado deve arrecadar R$ 9.428.693,00 com a taxa previdenciária e R$ 25.647.521,00 com a patronal.

CENÁRIO ATUAL

A preocupação do Estado com a questão previdenciária passa pelo deficit anual bilionário para pagar cerca de 29 mil aposentados e pensionistas de Mato Grosso do Sul. Em 2016, o valor deficitário chegou a R$ 938 milhões, segundo divulgado pelo governador.

Já a diferença entre o que se recebe e o que é pago para os beneficiários prevista para este ano é de R$ 1,1 bilhão, sendo que os recursos destinados são do tesouro estadual.

O governo de Mato Grosso do Sul está entre os 13 estados brasileiros regulares com a Secretaria da Previdência, contando inclusive com o Certificado de Regularidade Previdenciária (CRP).