2 rodas

Nova Suzuki GSX-S 750 chega com preço para acirrar disputa entre nakeds

4 NOV 2017 • POR DA REDAÇÃO • 08h00
Suzuki GSX-S 750 com novidades - Divulgação

A Suzuki vem, cada vez mais, aproximando o lançamento de seus produtos no Brasil de seus principais mercados. Uma forma de a marca tentar compensar a queda nas vendas, agravadas com o enxugamento de seu line-up no País.

Agora é a vez de, a menos de um mês do Salão Duas Rodas de São Paulo, iniciar as vendas da nova GSX-S 750, apresentada pela primeira vez na reta final de 2016 e lançada na Europa no fim do primeiro trimestre deste ano.

A naked de média-alta cilindrada chega para substituir a “aposentada” GSX 750 e mantém seu típico visual agressivo. Mas a marca defende que a dirigibilidade se tornou mais confortável.

O desenho “nervoso” carrega uma inspiração na GSX-S 1000. O assento é modelado para uma pilotagem esportiva e, assim como as pedaleiras, foi projetado para que o piloto consiga mais firmeza ao colocar os pés no chão. Para a carenagem, ficam disponíveis as cores azul, vermelha e preta.

Chama atenção a tecnologia embarcada na GSX-S 750. A moto traz controle eletrônico de tração com três níveis com a opção de desativação e freios ABS de série. O painel é todo digital. Há ajuste de brilho e cinco opções disponíveis para a exibição do tacômetro.

O freio dianteiro, com dois discos flutuantes de 310 mm de diâmetro, tem pinças de quatro pistões com fixação radial, enquanto os traseiros são simples de 240 mm.

O sistema de suspensão é de garfo telescópico invertido com diâmetro de 41 mm na frente, com curso de 120 mm, e monoamortecedor atrás, com 138 mm de curso, com ajustes na pré-carga de mola.

O motor foi herdado da GSX-R 750, um quatro cilindros em linha de 749 cc, DOHC e com refrigeração líquida, capaz de gerar potência máxima de 114 cv a 10.500 rpm e torque de 8,2 kgfm a 9 mil giros.

*Leia reportagem no suplemento Correio Veículos da edição de sábado/domingo do jornal Correio do Estado.