sucessão estadual

André é favorito dos eleitores em 22 dos 50 municípios pesquisados

Odilon de Oliveira venceria em 11 cidades

2 NOV 2017 • POR DA REDAÇÃO • 04h00
André, Reinaldo e Odilon são potenciais candidatos ao governo do Estado - Arquivo/Correio do Estado

A pesquisa do Ipems (Instituto de Pesquisas de Mato Grosso do Sul) sobre a sucessão estadual aferiu, ainda, o desempenho de cada nome submetido à consulta popular nos 50 municípios.

O ex-governador André Puccinelli (PMDB) venceria em 22. O juiz federal aposentado Odilon de Oliveira (PDT) ganharia em 11. Mas o total do resultado apurado indica equilíbrio entre eles numa eventual disputa para governador, no primeiro turno. André teria 26,91% das intenções de voto e Odilon, 25,29%.

O que faz o ex-magistrado se aproximar de André no cômputo geral das intenções de voto é o apoio eleitoral nos grandes municípios.

Em Campo Grande, com 596.842 eleitores, Odilon teria hoje 31,17% das intenções de voto. André vem logo atrás com 27,22%. A diferença de 3,95 pontos porcentuais caracteriza empate técnico entre os dois, levando-se em consideração a margem de erro estimada em 2,69 pontos para mais ou para menos.

A maior vantagem de Odilon nos grandes municípios verificou-se em Dourados, onde estão concentrados 151.939 eleitores. Lá o juiz federal aposentado conta com 36,12% das intenções de voto contra 21,51% de André. A distância um do outro é de 14,61 pontos porcentuais.

Em Três Lagoas, terceiro maior colégio do Estado com 75.856 eleitores, o cenário não é nada favorável a Odilon.

O ex-governador André Puccinelli e o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) são os preferidos dos três-lagoenses. Os dois estão com números idênticos: 28,60% para André e 28,32% a favor de Azambuja.

O ex-magistrado ficaria distante dos dois com apenas 11,91% das intenções de voto. A diferença dele para o ex-governador é de 16,69 pontos porcentuais e 16,41% do atual governador.

*Leia reportagem, de Adilson Trindade, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.