Futebol

Santos faz planejamento para ter Robinho de volta em 2018

3 OUT 2017 • POR FOLHAPRESS • 15h31
Atualmente Robinho joga no Atlético MG - Bruno Cantini/Atlético-MG

O Santos estabeleceu a volta do atacante Robinho como prioridade para 2018. A quarta passagem do jogador pela Vila Belmiro passa pela reeleição do presidente Modesto Roma Júnior, mas, principalmente, pela aceitação de um salário mais "em conta".

A intenção do clube é oferecer R$ 300 mil mensais ao atacante, readequando os ganhos do atacante com a nova realidade do futebol brasileiro. Para isso, Robinho precisará ceder.

Após a primeira passagem, de 2002 a 2005, o camisa 7 retornou duas vezes ao clube enquanto atuava no futebol europeu, em 2010 e de 2014 a 2015. Em ambas, teve ganhos próximos a R$ 1 milhão mensais.
Na última, já na diretoria encabeçada por Modesto, o jogador rejeitou a proposta de renovação santista após a liberação de seu contrato com o Milan.

Na ocasião, foi jogar seis meses pelo Ghangzou Evergrande, da China, time dirigido pelo técnico brasileiro Luiz Felipe Scolari. Quando voltou, acertou por dois anos com o Atlético-MG.

A torcida não engoliu a ida do atacante para Belo Horizonte, o que pode ser um empecilho para os planos da diretoria santista. Robinho tem contrato com os mineiros até o fim deste ano e, apesar de ter voltado a ser titular, com direito a dois gols no último fim de semana, não tem o futuro definido.

O presidente Modesto Roma se reuniu recentemente com a advogada do jogador, Marisa Alija, para tratar assuntos relacionados a jogadores das categorias de base e da dívida envolvendo a sua última passagem. A negociação para o retorno ainda não foi aberta.

De acordo com relatório do Conselho Fiscal, o Santos pagou no último dia 12 quase R$ 4 milhões às partes, sendo R$ 3,2 milhões a Robinho e pouco mais de R$ 600 mil à advogada, quitado em prestações.

A dívida foi aumentada devido à promessa verbal de um acréscimo nos direitos de imagem do jogador, não documentado pela diretoria à época, admitida pelo próprio mandatário.

O clube também sonha com o retorno do companheiro histórico do ídolo, o meio-campista Diego, do Flamengo. Para isso, utilizaria parte do dinheiro que receberá da transferência de Neymar ao Paris Saint-Germain, da França. A opção mais viável financeiramente, no entanto, é investir em Robinho.

Diego, aliás, é visto como o principal nome para substituir Lucas Lima caso o meia não aceite a renovação e deixe o clube paulista no fim desta temporada. Se Lucas Lima renovar, a diretoria irá reavaliar uma tentativa. O ex-camisa 10 do Santos recebe R$ 650 mil por mês no clube carioca.

As eleições acontecerão em dezembro e, até lá, o clube não poderá encaminhar contratações. De acordo com o artigo 91 do Estatuto Social do clube, o Santos só poderá contratar ou negociar algum atleta nos três meses anteriores ao término do mandato presidencial com anuências do Conselho Deliberativo e do Conselho Fiscal.