minha casa minha vida

'Ninguém vai me intimidar', diz Jucá sobre ação da PF contra seus filhos

28 SET 2017 • POR FOLHAPRESS • 17h55
Senador Romero Jucá - Waldemir Barreto/Agência Senado

O líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), disse que "não será intimidado" após a Polícia Federal cumprir mandados na manhã desta quinta-feira (28) contra seus filhos e enteados.

"Ninguém vai me intimidar... a partir daí, deduzam", disse o senador ao ser questionado sobre se a ação da PF era uma afronta contra ele.

A PF deflagrou nesta quinta uma operação em Boa Vista que tem como alvos dois filhos de Jucá, Rodrigo e Marina, e as enteadas Ana Paula e Luciana Surita. Foram expedidos mandados de busca e condução coercitiva contra todos.

O advogado da família, Antonio Carlos Almeida Castro, o Kakay, afirma que o senador não é um dos investigados.

Jucá criticou ainda o fato de a decisão ter sido tomada pela Justiça de Roraima. "Eu estou pegando as informações. Isso é uma ação da Justiça de Roraima, de uma juíza que está acionada no CNJ. Portanto, é uma retaliação, na hora que eu tiver os dados eu vou soltar uma nota", disse.

O senador, contudo, é alvo de denúncias e inquéritos no STF (Supremo Tribunal Federal) na Operação Lava Jato.

Batizada de Operação Anel de Giges, a operação desta quinta apura o desvio de R$ 32 milhões que supostamente tiveram como origem o superfaturamento na aquisição da "Fazenda Recreio", localizada em Boa Vista e na construção do empreendimento Vila Jardim, do projeto Minha Casa Minha Vida no bairro Cidade Satélite, também em Boa Vista.

"São investigadas as transações decorrentes da venda da Fazenda Recreio para a construção do empreendimento Vila Jardim, bem como pela fiscalização e aprovação do empreendimento na Caixa Econômica Federal", diz a nota da PF.

Ao todo estão sendo cumpridos 17 mandados judiciais expedidos pela Justiça Federal de Roraima, sendo nove de busca e apreensão e oito de condução coercitiva em Boa Vista, Brasília e Belo Horizonte.