Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Tragédia

Coritiba recusou voo oferecido pela empresa Lamia para Medellín

30 NOV 2016Por GLOBOESPORTE.COM13h:27

O Coritiba recusou uma proposta de voo fretado pela mesma empresa aérea que levava a equipe da Chapecoense para Medellín, no trágico acidente que vitimou 71 pessoas e deixou seis feridos. Na partida contra o Atlético Nacional pelas quartas de final da Copa Sul-Americana, o clube recebeu a oferta da empresa de fretamento assim como de outras, mas optou por usar uma companhia aérea com voos regulares para o voo até a Colômbia. O jogo aconteceu no dia 26 de outubro, com vitória do time colombiano por 3 a 1. 

A proposta foi confirmada pela assessoria de imprensa do Coritiba, que informou que os responsáveis pela logística do time não irão se pronunciar sobre os motivos da recusa da oferta. 

Para chegar a Medellín, o Coritiba viajou cerca de 15 horas em trajeto que iniciou na capital paranaense, teve escala em São Paulo, Bogotá e, por fim, Medellín. Os jogadores chegaram na noite de segunda-feira na cidade colombiana e tiveram pouco mais de 48 horas de adaptação. 

Apesar da recusa do Coritiba, a Lamia era uma empresa bastante usada por equipes de futebol para viagens entre os países da América do Sul. Entre eles, as seleções da Argentina, da Bolívia e Venezuela a utilizaram durante deslocamentos das eliminatórias da Copa do Mundo. Outras equipes como Olimpia do Paraguai, Real Potosi, da Bolívia, e o próprio Atlético Nacional já haviam a utilizado.

Leia Também