Quarta, 28 de Junho de 2017

HORA DE MUDAR

Baptista admite mudanças e descarta 'preleção emocional' no Palmeiras

21 ABR 2017Por FOLHAPRESS16h:13

O Palmeiras optou por não mostrar nada do que tem feito durante a semana para conseguir a virada em cima da Ponte Preta, na semifinal do Paulista, neste sábado (22).

Depois de perder por 3 a 0 em Campinas, a equipe optou por folgar na segunda (17) e na terça (18), além de fazer treinos fechados nos outros três dias da semana. Eduardo Baptista admitiu que poderá escalar o time com surpresas, mas sem radicalismo.

O técnico tem trabalhado em mudanças táticas e poderá até mesmo fazer substituições ainda no primeiro tempo dependendo do decorrer da partida.

"[Treinar fechado] é uma situação diferente. É para criar algo novo, que a gente pode surpreender. E isso junto com o que a gente já tem apresentado faz a gente ficar muito forte", afirmou.

"A gente fez um jogo contra o Peñarol onde todos foram em alto nível. Se faz muitas mudanças, mostra que não sabe o que está fazendo. Então a gente pode fazer pequenas mudanças a nível de estratégia, mas não grandes só por causa do jogo contra a Ponte Preta. Se fosse mexer por causa daquilo, eu mexeria os 11, o treinador, a comissão. Foi um jogo muito ruim de todo mundo", completou.

Ao longo do ano, Eduardo já mostrou o time escalado no 4-1-4-1 e no 4-2-3-1, como aconteceu nos últimos jogos. Essa variação é algo que o comandante trabalha durante os últimos dias.

Com a troca, ele varia a posição de Tchê Tchê, de Willian e também muda a forma de Borja participar da partida, especialmente sem a bola.

VÍDEOS

O técnico também tem mostrado vídeo aos atletas de situações que considera ideal para a partida. Ele cita partidas contra o São Paulo e contra o Peñarol como exemplo e diz que não levará a prelação para o lado emocional. Segundo ele, o aspecto técnico é o que os atletas precisam para buscar a classificação.

"Não sei fazer os atletas chorarem, não sei fazer preleção emocional. Eu sou da parte técnica. Mostramos como entramos em outras partidas porque é prático e fica claro que a gente já sabe fazer. Não tenho pensado em lado emocional porque acho que preciso mostrar coisas para eles terem confiança que poderão repetir. Não adianta contar história para jogador chorar", finalizou.

A torcida do Palmeiras mostra confiança na virada e já comprou 36 mil ingressos para o jogo. Nesta sexta (21), centenas de torcedores foram à porta da Academia de Futebol para demonstrar apoio.

Leia Também