Terça, 21 de Novembro de 2017

0 a 0

Atlético-MG e Botafogo empatam jogo em briga por vaga na Libertadores

29 OUT 2017Por FOLHAPRESS18h:26

Atlético-MG e Botafogo têm o mesmo objetivo nesta reta final do Campeonato Brasileiro. Ambos querem uma vaga na próxima Copa Libertadores. No confronto deste domingo (29), pela 31ª rodada, no Independência, o empate em 0 a 0 foi melhor para o time do Rio de Janeiro. Com o resultado o Botafogo segue na sexta colocação e com seis pontos a mais do que o Galo.

Já o Atlético desperdiçou mais uma oportunidade de se aproximar do G-7. Após os empates de Vasco e Atlético-PR, diante de Flamengo e Chapecoense, o time mineiro tinha a chance de subir duas posições e ficar apenas três pontos abaixo da zona de classificação para a próxima Libertadores. Oportunidade perdida, mais uma vez dentro de casa.

Vestindo a camisa 10, o meia João Paulo atuou um pouco mais recuado contra o Atlético e foi o líder do Botafogo dentro de campo. O jogador foi determinante para a boa marcação feita pela equipe carioca e ainda deu muita qualidade na saída de bola da defesa para o ataque. A tarde só não foi melhor para João Paulo por causa de um lance no primeiro tempo, em que precisou fazer uma falta para parar um contra-ataque e recebeu o cartão amarelo.

Com apenas dois minutos de jogo o Botafogo conseguiu chegar duas vezes com certo perigo ao gol defendido por Victor. Mas duas ocasiões foram bolas recuperadas em cima de Valdívia. O meia do Atlético começou o jogo desligado, errando bastante. Com o tempo, os erros diminuíram, mas não pararam. Valdívia parecia estar numa rotação diferente dentro de campo, sempre mais lento do que os marcados. A atuação ruim durou somente 45 minutos e Cazares entrou no jogo após o intervalo.

Jogando fora de casa, contra um time que também luta por uma vaga na próxima Copa Libertadores, o empate pode ser considerado bom resultado para o Botafogo. Pelo menos foi essa a impressão que o time carioca passou diante do Atlético. Sempre bem postado na defesa, não permitiu que o clube mineiro criasse muitas chances de gol. Por outro lado, a cautela na defesa fez com que o Botafogo atacasse poucos. A tentativas foram nos contra-ataques, no melhor deles o atacante Guilherme parou em Victor.

ATLÉTICO-MG
Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Gabriel e Fábio Santos; Adilson, Elias, Otero (Rafael Moura, aos 35 do 2º) e Valdívia (Cazares, intervalo); Robinho (Clayton, aos 45 do 2º) e Fred.
T.: Oswaldo de Oliveira.

BOTAFOGO
Gatito, Arnaldo, Carli, Igor Rabello e Victor Luis (Guilherme, aos 16 do 2º); Bruno Silva, Matheus Fernandes, João Paulo e Gilson; Rodrigo Pimpão (Dudu Cearense, aos 38 do 2º) e Brenner (Vinicius Tanque, aos 25 do 2º).
T.: Jair Ventura.

Árbitro: Sandro Meira Ricci (FIFA/SC)
Assistentes Emerson Augusto de Carvalho (FIFA/SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (FIFA/SP)
Público/Renda: 17.086 presentes/R$ 274.880,00
Cartões amarelos: (CAM) João Paulo e Joel Carli (BOT)

Leia Também