Domingo, 19 de Novembro de 2017

CAGED

MS tem melhor fevereiro na geração de empregos dos últimos dois anos

Contratações superaram demissões e foram gerados 2.517 postos de trabalho

16 MAR 2017Por GLAUCEA VACCARI17h:30

Mato Grosso do Sul fechou o mês de fevereiro com saldo positivo de 2.517 novos empregos formais, o melhor resultado para o mês dos últimos dois anos. Dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados hoje pelo Ministério do Trabalho.

Em fevereiro, foram contratadas 21.379 trabalhadores com carteira assinada no Estado e foram demitidos 18.862, o que representa varição de 0,49%. No Brasil, Mato Grosso do Sul é a 8ª unidade da federação que mais gerou empregos.

Em janeiro, Estado também teve resultado positivo, com criação de 871 empregos formais. Saldo acumulado nos dois primeiros meses do ano é de 3.456 postos de trabalho. Já o acumulado nos últimos 12 meses é de 270 vagas de empregos formais.

Conforme o Caged, desde 2003 o Estado encerra fevereiro com saldo positivo na geração de empregos, no entanto, neste ano houve aumento maior no número de contratações, que superou saldo registrado no mesmo mês em 2015, de 1.574 postos de trabalho, e de 2016, que foi de 1.124.

Entre os setores de atividade econômica, serviços foi o que mais contratou, com 935 vagas de trabalho, seguido por agropecuária (863), indústria de transformação (288), comércio (265), construção civil (178) e extrativa mineral (21).

Demitiram mais do que contrataram os setores de serviços industriais e de utilidade pública, com saldo negativo de - 27 postos de trabalho, e administração pública, com - 6.

Entre os municípios com mais de 30 mil habitantes, Campo Grande é que teve melhor resultado e terminou o mês com 605 novos postos de trabalho. Dourados (201), Sidrolândia (152), Três Lagoas (149) e Maracaju (137) completam o quadro de cinco cidades que mais contrataram.

Apenas Coxim, Corumbá e Aquidauana registraram mais demissões, com fechamento de 180, 64 e 23 postos de trabalho, respectivamente.

Em todo o Brasil, contratações superaram demissões em 35.612 vagas.  

Leia Também