Segunda, 26 de Junho de 2017

Tecnologia

Mato Grosso do Sul é o 1º do País em adoção de integração lavoura e pecuária

São mais de 2 mi de hectares o que corresponde a 10,5% do total de área

12 MAR 2017Por PAULA VITORINO06h:00

Mato Grosso do Sul é o estado do País com a maior área de integração entre lavoura, pecuária ou floresta. São 2.085.518 hectares, o que representa 10,69% do total de 19,5 milhões de hectares sob uso da agropecuária no Estado. O sistema integrado de pecuária-lavoura é a principal modalidade, com benefícios mútuos para as duas culturas, como aumento da produtividade. No caso da pecuária, a produção pode até triplicar. 

No ranking nacional, Mato Grosso aparece em seguida com 1,5 milhão de hectares. No Brasil, a área estimada atualmente é de 11,5 milhões de hectares, com expansão gradativa nos últimos dez anos – em 2005 o montante era de apenas 1,8 milhão/hac. 

Os dados são de levantamento feito durante a safra 2015/2016 pela Kleffmann Group. A pesquisa foi encomendada pela Rede de Fomento ILPF (Integração-lavoura-pecuária-floresta), formada por empresas privadas e pela Embrapa. 

“Temos observado um aumento contínuo de áreas de integração. Pesquisa recente no país mostrou que a maior área de sistema integrado é no Mato Grosso do Sul”, destaca o pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste, Júlio Cesar Salton. Ele ainda complementa dizendo que 95% da integração é entre lavoura e pecuária. “Vem se tornando uma tendência, principalmente dos últimos cinco anos para cá”, analisa. 

Salton avalia que a região sul do Estado seja a que mais concentre esse tipo de integração. O pesquisador frisa que a modalidade é vantajosa tanto para agricultores quanto para os pecuaristas. “Para o agricultor, é vantajoso a presença de uma boa pastagem porque produz palhagem e protege o solo com uma boa cobertura, evitando erosão. É uma fonte de matéria orgânica”, explica. 

Salton ainda acrescenta que a lavoura ganha maior potencial produtivo ao conseguir garantir a proteção do solo após a colheita dos grãos.

*A reportagem completa está na edição de hoje do jornal Correio do Estado. 

 

Leia Também