Terça, 24 de Janeiro de 2017

RASTRO DA CRISE

Mato Grosso do Sul fecha ano com 2.670 empresas extintas, alta de 21%

Número de estabelecimentos é maior desde 2004

10 JAN 2017Por RENATA PRANDINI06h:00

O agravamento da crise econômica nacional fez com que o Estado batesse novo recorde de empresas extintas no ano. Conforme dados da Junta Comercial de Mato Grosso do Sul (Jucems), no ano passado, foram 2.670 empresas extintas entre janeiro a dezembro; o equivalente a 222,5 extinções ao mês em média (sete por dia).  Este foi o pior resultado da série histórica dos últimos 12 anos e que equivale a um aumento de 21,8%, ou 479 empresas, em comparação ao ano passado, ano até então recordista. Em 2015, 2.191 empresas fecharam as portas no Estado. 

Somente no mês de dezembro, 245 empresas fecharam as portas no Estado, terceiro índice mais alto de todo o ano, atrás do resultado de junho (272 empresas extintas) e maio (259). 

Para o presidente da Junta Comercial, Augusto César Ferreira de Castro, o índice de empresas extintas preocupa e está diretamente relacionado à queda no poder de compra da população nos últimos anos. “Está em fase de elaboração um estudo mais detalhado sobre o perfil dessas empresas extintas e abertas em Mato Grosso do Sul. Mas, preliminarmente, já podemos afirmar que o mercado de consumo direto das pessoas foi o mais impactado neste ano. Em um momento de crise como este, a pessoa corta gastos extras do seu orçamento. Então, ela passa a comprar menos e a utilizar menos serviços. Com isso, as empresas não têm como se manter e fecham as portas”, completou.

(*) A reportagem completa está na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Leia Também