Sábado, 25 de Março de 2017

DECISÃO

Governo suspende exportação de 21 investigadas na operação Carne Fraca

Vendas dentro do Brasil não foram proibidas, informou ministro

20 MAR 2017Por G117h:30

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, afirmou no final da tarde desta segunda-feira (20) que proibiu, preventivamente, a exportação de carnes pelas 21 empresas investigadas na operação Carne Fraca, da Polícia Federal.

A operação, deflagrada na semana passada, revelou esquema de corrupção envolvendo fiscais do Ministério da Agricultura e produtores de carnes. Além de pagamento de propina a fiscais e partidos, a PF investiga a adulteração de produtos e a venda de carne vencida e estragada.

Diante da repercussão do escândalo, alguns países anunciaram restrições temporárias à entrada de carne brasileira, entre eles a União Europeia, Coreia do Sul e China. Estes 3 países juntos foram destino de 27% da carne exportada pelo Brasil em 2016.

UE: pediu que o Brasil suspenda a exportação de empresas envolvidas

CHINA: carnes brasileiras estão retidas nos portos

COREIA DO SUL: baniu frangos da BRF; empresa diz que não foi notificada

CHILE: suspendeu temporariamente a importação de carnes

O anúncio feito por Maggi ocorre após exigência feita mais cedo nesta segunda pela Comissão Europeia para que o governo brasileiro suspenda a exportação das empresas envolvidas na Operação Carne Fraca temporariamente.

"A Comissão garantirá que quaisquer dos estabelecimentos implicados na fraude sejam suspensos de exportar para a União Europeia", disse o porta-voz da Comissão Europeia Enrico Brivio.

Segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), as vendas de carne para a União Europeia, Coreia do Sul e China cresceram nos últimos anos e ganharam peso na pauta exportadora brasileira. Em 2013, somaram US$ 2,82 bilhões, o equivalente a 17,8% de toda a exportação de carne do Brasil a outros países. Em 2016, passou para US$ 3,67 bilhões, 27,2% do total.

Apenas para a China, maior comprador brasileiro, as exportações de carne brasileira passaram de US$ 445 milhões, em 2013, para US$ 1,75 bilhão, em 2016.

RESTRIÇÕES

De acordo com Maggi, a União Europeia comunicou ao governo brasileiro que a suspensão de compra de carne atinge apenas as 21 investigadas. Quanto à decisão da Coreia do Sul, diz respeito apenas às importações de produtos da BRF.

Ainda de acordo com o ministro, o Egito comunicou sobre a possibilidade de suspender as compras de carne brasileira. Maggi disse ainda acreditar que a Rússia observa a reação da UE para decidir o que fazer.

No total, o ministro disse acreditar que o Brasil deve receber pedidos de cerca de 30 países para esclarecimentos sobre as suspeitas levantadas pela Carne Fraca.

Maggi adotou um tom mais duro ao comentar a decisão do Chile de suspender as importações de carne brasileira. Ele disse que o governo chileno não esclareceu se a decisão atinge apenas as 21 empresas investigadas ou toda carne produzida aqui. E que o Brasil poderá retaliar o Chile se a suspensão for geral.

Leia Também