Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Lavoura

Depois de atraso, plantio da soja
se aproxima dos 100% no Estado

Algumas regiões produtoras de MS registraram mais de 20 dias sem chuvas

27 NOV 2016Por RENATA PRANDINI04h:00

O plantio de soja chega à sua reta final em Mato Grosso do Sul. Entretanto, condições climáticas preocupam o setor. Em algumas regiões do Estado, o plantio teve de ser refeito ou atrasado por conta da falta de chuvas. Conforme o Leonardo Carlotto, analista em agricultura da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), atualmente 96% da lavoura do Estado  já está plantada e a expectativa é o plantio seja concluído na próxima segunda-feira.  “O plantio está mais atrasado em alguns municípios da região Oeste do Estado e algumas na região Norte”. Ao todo, são 2,420 milhões de hectares de área plantada.

O analista informou que  não houve perdas nas lavouras. Porém, a falta de chuvas, além de atrasar o plantio, também pode impactar na produtividade da safra deste ano no Estado. Carlotto explicou que, algumas regiões como Dourados, Ponta Porã e Amambai permaneceram sem chuvas por 20 dias ou mais. “Dependendo de onde faltou chuva, pode retardar o processo. A seca dificulta o desenvolvimento da planta, o que altera a produtividade, e, se extrema, com 40 dias por exemplo, pode matar toda a lavoura”. 

Este retardamento no desenvolvimento difere de acordo com a variedade da oleaginosa. As que mais sofrem são as de ciclo curtos, que podem ter acréscimo de três dias para a colheita. “Isso, inclusive, também se dá pelo frio que tem sido registrado à noite”, completou Carlotto.

A queda nas temperaturas em algumas regiões do Estado, conforme a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), tem provocado uma reação nas lavouras chamada de “falsa virose” da soja – a planta manifesta alguns sintomas, como se atacada por vírus. “O clima tem sido fator complicador. Mas, temos expectativa de chuvas para a próxima semana. Dependendo do volume, a situação já se regulariza”.

*A reportagem completa está na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Leia Também