Segunda, 25 de Setembro de 2017

Teste da semana

Fiat Argo apresenta design moderno
e preço começa em R$ 46,8 mil

7 SET 2017Por LEANDRO GAMEIRO10h:46

Lançado em maio deste ano, o Fiat Argo chamou a atenção por seu design moderno e robusto. Ele pode ser escolhido em 3 versões: Drive, Precison e Hgt. E vem com 3 tipos de motorização: os modernos firefly 1.0 3 cilindros ou 1.3 4 cilindros e os já conhecidos 1.8 E.Torque.

Esse novo modelo parte de R$ 46.800 e, com os opcionais, pode ultrapassar os R$ 80 mil. Os seus principais rivais são, o Chevrolet Onix e o Hyundai HB20, segundo a montadora.     

Passamos a semana a bordo do modelo 1.8 Hgt, com câmbio manual, na cor azul portofino, que chama bastante a atenção e é exclusiva desta versão.

Vale lembrar que este modelo é a topo da categoria, mas com câmbio manual, e parte de R$ 64.600. Além da cor, também impressiona o interior, com  seu acabamento sofisticado em couro e espaço interno bastante agradável. O detalhe em vermelho de fora a fora no painel, dá um charme a mais.

A central multimídia “Uconnect” segue a tendência, parece que foi encaixada no painel depois de pronto, o que nos agradou. As principais características externas do modelo são as linhas esportivas e agressivas, que juntamente com o kit aerodinâmico, Spoiler, saia lateral e aerofólio, dão o ar arrojado para o Argo Hgt, diferenciando das outras versões.     

Rodamos mais de 400 quilômetros pelas ruas e Anel Rodoviário de Campo Grande. Quando entregamos o carro, estava marcando 9.6 km/l no geral.

Abastecido com gasolina, o carro chegou a marcar 11 km/l em avenidas de tráfego rápido, com pouco movimento, e 15.5 km/l andando pelas estradas, cerca de 70 km, em torno da cidade.

A maior parte do nosso teste foi realizado no centro de Campo Grande. Ficamos muito satisfeitos com o acabamento interno, e a suspensão macia.

Por ser o modelo mais esportivo, tem uma calibragem diferente das outras versões, além dos pneus, que são de perfil mais baixo. "Somado aos buracos das ruas”, o Argo superou a expectativa, apresentando ruído interno praticamente zero.      

O som é de ótima qualidade, o ar é digital , mas sentimos falta do “dual-zone”, onde é possível escolher duas temperaturas diferentes. Afinal, não é um carro barato. Duas entradas USB, central multimídia fácil de mexer e rápida, toda touch screen, podendo ser desligada a tela para não incomodar à noite.

Vale lembrar, que desde a versão de entrada, a Drive 1.0 pode ser colocada a central, por R$ 2.300, segundo site oficial. O porta-malas tem 300 litros de capacidade. O modelo testado veio com alguns opcionais, e seu valor, pelo site da marca, ficou em R$ 73.800. Não deixe nos nos acompanhar pelo Instagram: @correioveiculos.
 

 
  • Foto: Leandro Gameiro/Correio do Estado
  • Foto: Leandro Gameiro/Correio do Estado
  • Foto: Leandro Gameiro/Correio do Estado
  • Foto: Leandro Gameiro/Correio do Estado
  • Foto: Leandro Gameiro/Correio do Estado
  • Foto: Leandro Gameiro/Correio do Estado
  • Foto: Leandro Gameiro/Correio do Estado
  • Foto: Leandro Gameiro/Correio do Estado

Leia Também