Sábado, 10 de Dezembro de 2016

INVESTIMENTO

Saúde autoriza R$ 1,1 milhão à obra
de sala de conservação de vacinas em MS

Rede de Frio possibilitará a ampliação no armazenamento de vacinas

1 DEZ 2016Por MARIANE CHIANEZI17h:14

O Ministério da Saúde investirá R$ 1,1 milhão no projeto de construção de uma sala de refrigeração para conservar e armazenar vacinas distribuídas no Estado. Obra será feita na Central Municipal de Rede de Frio de Campo Grande, sendo uma entre os 18 projetos de construção e ampliação da “Rede de Frio” no país.

A autorização foi feita recentemente pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, com fundos repassados do Fundo Nacional de Saúde. O objetivo é aprimorar o parque tecnológico da Rede de Frio, fundamental para a conservação de vacinas e soros do Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde durante o armazenamento e a distribuição.

A ampliação da rede é importante, pois nos últimos anos, novas vacinas foram incluídas no Calendário Nacional de Imunização como a vacina de HPV para as meninas, que será ampliada para meninos em 2017; a vacina de Hepatite A para crianças e a vacina dTpa para gestantes.

Além disso, existe a vacina Meningocócica C, que é destinada para crianças, que será ampliada para os adolescentes a partir do próximo ano. Consequentemente, com a ampliação deste calendário, há a necessidade de reforço na rede para manter a qualidade e segurança dos imunobiológicos.

REDE DE FRIO

A rede foi implantada há mais de 40 anos e é destinada ao processo de armazenamento, conservação, manuseio, distribuição e transporte das vacinas ofertadas no Brasil.

É composta por equipamentos e procedimentos padronizados, além de uma equipe técnica qualificada, comprometida em oferecer as condições adequadas de refrigeração, desde o laboratório produtor até o momento em que a vacina é administrada.

Atualmente, a estrutura da Rede de Frio é composta por 27 centrais estaduais, sendo 307  regionais e mais de 750 centrais municipais. Os equipamentos utilizados para a garantia da qualidade dos imunobiológicos vão desde câmaras frigoríficas, congeladores (freezer), refrigeradores tipo comercial, caminhões e "furgõesfrigoríficos" até caixas térmicas, termômetros e bobinas.

Leia Também