Quinta, 08 de Dezembro de 2016

INSEGURANÇA

Roubo de celulares alimenta comunicação ilegal de presos no Estado

Os aparelhos são os principais alvos de assaltantes na Capital

19 OUT 2016Por DA REDAÇÃO04h:00

O roubo de celulares está sendo a principal fonte alimentadora da comunicação ilegal de presos, que das celas dos estabelecimentos penais comandam crimes do lado de fora. Sem um sistema que consiga bloquear o sinal de telefonia móvel nos presídios e também sem uma segurança eficiente que impeça a chegada dos aparelhos às mãos dos detentos, a polícia reconhece que muitos dos crimes que ocorrem em Campo Grande são comandados de dentro das penitenciárias, especialmente, o tráfico de drogas, latrocínio (roubos com mortes) e assassinatos.

Na impossibilidade de compra de celulares novos e diante do risco constante de apreensões dentro dos presídios, os detentos lançam mão dos aparelhos roubados para manter a estrutura criminosa em funcionamento. As ocorrências de roubo têm apontado para essa demanda.

O secretário estadual de Justiça e Segurança Pública, José Carlos Barbosa, informou que das 5.607 denúncias de assalto registradas de janeiro a setembro deste ano, na Capital,  3.049, ou seja, 54,4%, envolveram especificamente os aparelhos de telefonia móvel. 

(*) A reportagem, de Renan Nucci e Thiago Gomes, está na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Leia Também