Sexta, 24 de Novembro de 2017

baixo idh

Projeto Rondon vai para
11 cidades de MS em 2018

Termo de cooperação foi assinado hoje, em Campo Grande

12 SET 2017Por RODOLFO CÉSAR19h:14

Regiões consideradas muito carentes em Mato Grosso do Sul, com baixo índice de desenvolvimento, vão receber apoio de acadêmicos e professores de universidades por meio do Projeto Rondon. A atividade vai acontecer entre os dias 6 e 22 de julho do ano que vem.

A parceria para viabilizar essa medida foi assinada hoje entre o governo do Estado e o Ministério da Defesa, que conduz o projeto. Serão 240 pessoas que vão se deslocar para essas comunidades para oferecer serviços ligados a atendimento médico, odontológico, oficinas na área de cultivo, orientações sobre saneamento básico, entre outras atividades.

O termo de cooperação foi assinado com 11 municípios sul-mato-grossenses hoje, em Campo Grande. O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) participou do ato, além do diretor do Departamento de Ensino do Ministério da Defesa e coordenador geral do Projeto Rondo, brigadeiro de Infantaria Augusto Cesar Amaral e prefeitos. Em MS,  o projeto vai se chamar Projeto Rondon - Operação Pantanal.

"O Projeto Rondon atende municípios com menos de 30 mil habitantes ou que tenham Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) abaixo de 7", informou nota do governo do Estado.

Desde o ano passado algumas ações passaram a ser realizadas nessas regiões justamente por conta da discussão em se implantar o projeto no Estado. “Aqui temos o caráter solene de um trabalho que já vem sendo desenvolvido junto com o governo de Mato Grosso do Sul desde o ano passado, quando tivemos o primeiro contato para tratar da operação", explicou o brigadeiro de Infantaria Augusto Cesar Amaral.

Durante os 12 dias de ação, os municípios receberão duas instituições com 10 integrantes cada, formado por professores e acadêmicos. "Essas equipes realizarão oficinas nas mais diversas áreas, como de desenvolvimento sustentável, agricultura familiar, saneamento básico e meio ambiente", divulgou nota.

Entre as cidades que assinaram o termo estão Corumbá, que vai receber atendimento para comunidades ribeirinhas do Baixo Taquari. A viagem até esse local deve durar 12 horas em embarcação de grande porte; também faz parte Corguinho, com comunidade quilombola.

Em Mato Grosso do Sul, somente a Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) institucionalizou o Núlceo Projeto Rondon e tem uma base em Ladário para estudos e pesquisas.

CIDADES QUE ASSINARAM TERMO

Corumbá - Ladário - Terenos - Dois Irmãos do Buriti - Miranda - Bodoquena - Rochedo - Bandeirantes - Corguinho - Rio Negro - Rio Verde de Mato Grosso - Camapuã - Angélica - Deodápolis - Douradina - Jateí - Vicentina - Glória de Dourados - Nioaque - Jardim - Guia Lopes da Laguna - Nova Alvorada do Sul - Caarapó - Laguna Carapã - Itaporã - Jaraguari.

Leia Também