Quinta, 08 de Dezembro de 2016

12 ANOS DEPOIS

Professora condenada a 18 anos de prisão por matar marido é presa ao deixar escola

Neuzimar Almeida Farias Viscardi nega que tenha cometido o crime

1 DEZ 2016Por VALQUÍRIA ORIQUI17h:54

Neuzimar Almeida Farias Viscardi, de 50 anos, foi presa na tarde de ontem, em Nioaque, após deixar escola pública onde dava aula. Ela foi condenada em 2010 pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul acusada de ter matado o marido José Sotolani Viscardi, ex-vereador do município, em 16 de janeiro de 2005. Ela nega ter cometido o crime.

Conforme a delegada responsável pelo caso, Joilce Silveira Ramos, a ordem de prisão foi recebida na tarde de ontem, porém, solicitou aos policiais que aguardassem o término da aula para prendê-la.

Neuzimar passou a noite em uma cela sozinha e, hoje a tarde, seguiu para Bonito, onde permanecerá presa em cela feminina junto com outras detentas, até que uma vaga no presídio feminino seja disponibilizada, o que deve acontecer dentro dos próximos 15 dias.

PRISÃO

Apesar de ter sido condenada há 18 anos de prisão em 18 de outubro de 2010, a professora cumpria pena em liberdade, pois havia recorrido ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). Porém, em outubro deste ano, o Supremo Tribunal Federal (STF) entendeu que o réu deverá ser preso após condenação em 2ª instância e não mais após o fim de todos os recursos, conhecido no meio jurídico como "trânsito em julgado". 

Advogados aguardam decisão do pedido de habeas corpus que tramita no STF e que pode tirar a professora da prisão a qualquer momento. A alegação é de que o caso de Neuzimar ainda não transitou em julgado, restando o julgamento de um recurso à esfera superior . Nesse caso, a professora poderá ser solta e aguardar a decisão do último recurso, em liberdade.

O CRIME

Vereador durante oito anos em Nioaque, José Sotolani Viscardi foi assassinado com dois tiros de revólver calibre 38, dentro de casa, enquanto assistia televisão, no dia 16 de janeiro de 2005.

Na época, Neuzimar, Odair Soares Pereira e Marcio Pereira foram presos e, posteriormente, soltos enquanto aguardavam o julgamento em liberdade. Em 18 de outubro de 2010 Neuzimar foi condenada a 18 anos de prisão, Odair Soares Pereira a 17 anos, e Marcio Pereira a 16 anos, em regime fechado. 

Leia Também