Domingo, 25 de Setembro de 2016

POLÍCIA SEM SISTEMA

Problemas para registrar ocorrências
na polícia devem acabar em 24 horas

Governo e empresa de tecnologia renovaram contrato milionário

22 SET 2016Por RODOLFO CÉSAR E THIAGO GOMES16h:30

Os problemas para registro de ocorrências e obter B.Os na Polícia Civil devem ser regularizados em prazo de 24 horas. O governo do Estado assinou hoje à tarde a renovação de contrato com a empresa Compnet para que o sistema volte a funcionar.

Há pelo menos duas semanas a polícia estava completamente sem sua base de dados, mas inconsistências vinham acontecendo desde julho. O convênio para viabilizar o funcionamento do programa de computador venceu em março e desde então não tinha sido renovado.

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), que pagava sozinha o custo, decidiu que precisava dividir a conta e foi preciso negociação interna. Além disso, a Compnet estava com certidões que dependiam de regularização para haver assinatura de contrato com poder público. A situação só foi solucionada depois que essas arestas foram aparadas.

Sem o sistema, denominado S.I.G.O, muitas pessoas que precisam registrar ocorrência não conseguiam cópias ou tinham dificuldade para oficializar a reclamação. A polícia também estava com empecilhos para checar histórico de suspeitos presos. Estima-se que pelo menos 500 pessoas deixaram de ser presas porque a visualização de mandados de prisão estava prejudicada.

O novo contrato tem prazo de quatro anos e foi acertado o valor de R$ 36,480 milhões pelo período. As parcelas mensais de R$ 760 mil serão pagas pela Sejusp (R$ 350 mil), Secretaria de Estado de Fazenda (R$ 218 mil) e Departamento Estadual de Trânsito (R$ 191 mil).

"O que fica desse caso é a lição que o Estado não pode fica refém de uma empresa. É preciso desenvolver um sistema próprio", disse o secretário da Sejusp, José Carlos Barbosa.

SEM CONTRATEMPO

O sistema tecnológico que teve contrato renovado é utilizado por diferentes órgãos do governo do Estado, entre eles as Polícias Civil, Militar e Detran.

O Bombeiro também usa o S.I.G.O, mas aliado a um programa próprio. Por conta disso, o impasse com a empresa de tecnologia não atrapalhou o atendimento da corporação.

Durante evento na sede da Sejusp hoje, autoridades mencionaram que esse sistema pode servir de base para que o governo estadual desenvolva uma proposta para todas as outras secretarias e órgãos. Teoricamente, há prazo de quatro anos para isso ser feito.

Leia Também