Quinta, 08 de Dezembro de 2016

NA FRONTEIRA

Revoltados com crimes, taxistas
protestam depois de novo assalto

Tentativa frustrada de roubo terminou com um adolescente detido

16 OUT 2016Por VALQUÍRIA ORIQUI15h:49

Adolescente de 17 anos foi detido e outro conseguiu fugir após tentarem assaltar motorista de táxi, na madrugada de hoje, por volta das 4h, enquanto o trabalhador fazia plantão, na Rua Tiradentes, em Ponta Porã.

Conforme o Porã News, os dois chegaram juntos. Enquanto um deles pediu R$ 10 emprestado ao taxista, o outro, com uma faca de serra, anunciou o assalto e exigiu a chave do carro. O taxista reagiu, empurrou o adolescente e saiu do carro.

Em seguida, um dos suspeitos fugiu e se escondeu em uma construção próxima da delegacia de Polícia Federal. Ao perceberem a situação, agentes detiveram o rapaz e o encaminharam para a Delegacia de Polícia Civil.

PROTESTO

Indignados com a onda de violência que atinge a fronteira e com a falta de segurança, taxista realizaram protesto a fim de chamar a atenção das autoridades para que o adolescente seja indiciado pelo crime de roubo na forma tentada.

Trabalhadores reclamam de que em poucos dias da detenção, os adolescentes infratores já retornam às ruas para darem sequência nos roubos e furtos. E, conforme eles, a população é quem sofre com as “audiências de custodias”, que acabam dando mais direito aos acusados e tornando a população refém dos mesmos.

A classe de taxista de Ponta Porã pede que o adolescente, detido em flagrante, não ganhe a liberdade após tentativa frustrada. De acordo com representantes da classe, os taxistas acompanharão de forma constante as “audiências de custódias”.

BALANÇO

Até ontem foram contabilizados 26 veículos roubados nos últimos 15 dias, na cidade. Além dos roubos, ataques a comércios e pessoas que transitam nas ruas também têm levado medo aos moradores.

Um dos fatores que aumentam ainda mais a insegurança de quem mora em Ponta Porã é o baixo efetivo de policiais militares. Jornais locais da cidade afirmam que nos últimos meses a Polícia Militar pouco tem feito na cidade porque houve uma série de transferência de policiais para outras cidades.

Leia Também