Sábado, 10 de Dezembro de 2016

MARINHO E EXÉRCITO

Militares fazem fiscalização contra
terrorismo em região de fronteira

Setor de inteligência já identificou atividade suspeita entre Brasil e Bolívia

13 OUT 2016Por RODOLFO CÉSAR19h:19

Marinha e o Exército começaram nesta semana fiscalização contra terrorismo e irregularidades em embarcações na região de fronteira entre Brasil e Paraguai, nas proximidades de Porto Murtinho. São sete navios do 6º Distrito Naval de Ladário, equipamentos aéreos, como um avião Esquilo HA-1 que tem estrutura para atuar durante a noite, além de fuzileiros navais e 120 militares do Exército.

A Operação Fronteira Sul realiza monitoramento em embarcações que estão usando o rio Paraguai tanto para seguirem sentido interior de Mato Grosso do Sul, com possibilidade de acesso à Bolívia, como a caminho de Assunção (capital do país vizinho).

Uma das bases desse trabalho fica a 40 quilômetros de Porto Murtinho. Os navios da Marinha chegaram na região no sábado (8), mas desde a semana passada vem sendo realizado treinamento.

As manobras que o 6º Distrito Naval realizou até agora são contra ataques terroristas. As regiões de fronteira com o Paraguai e a Bolívia vêm recebendo monitoramento porque o setor de inteligência de diferentes forças de segurança averiguou que terroristas teriam interesse em atuar nessas áreas.

Essas suspeitas foram confirmadas, entre outros fatos, com investigação feita contra o campo-grandense Leonid El Kadre de Melo, indiciado por terrorismo e suspeito de ter ligações com o Estado Islâmico.

Ele tratou de projeto para montar um centro de treinamento na Bolívia. Esse plano foi interceptado pela Polícia Federal, depois da deflagração da Operação Hashtag. A mensagem estava espalhada para outras 10 pessoas, todas identificadas em fevereiro deste ano, antes da Olimpíada. A defesa de Leonid sustenta que o e-mail é falso.

O tráfico de drogas e de armas e contrabando, além de irregularidades em embarcações podem ser fiscalizadas na operação.

ATUAÇÃO SOCIAL

O Navio de Assistência Hospitalar Tenente Maximiano está realizando procedimentos médicos em comunidades ribeirinhas, na cidade de Porto Murtinho e em território paraguaio denominado Ilha Margarita.

O último boletim divulgado pela Marinha quantificou 113 atendimentos médicos, 390 odontológicos e distribuição de 4,6 mil medicamentos.

A Banda de Música Naval também está na região e fez apresentações e workshop na Escola de Música da Prefeitura de Porto Murtinho. A Operação Fronteira Sul só deve terminar no final de outubro.

Leia Também