Segunda, 20 de Novembro de 2017

POLÍCIA

Justiça nega pedido de revogação da prisão de suspeito na morte de Mayara

Roberson Batista da Silva, 32 anos, está foragido há duas semanas

29 SET 2017Por BÁRBARA CAVALCANTI10h:48

A Justiça negou pedido de revogação da prisão preventiva de Roberson Batista da Silva, de 32 anos, principal suspeito de matar Mayara Fontura Hosback, de 18 anos.  

A defesa alega que o acusado deseja se apresentar à polícia, mas teme por sua integridade física, além de se considerar prejudicado por plantões da imprensa em frente à Delegacia de Proteção à Mulher (DEAM).  

A audiência de custódia aconteceu no dia 16 de setembro, já sem a presença do acusado. Ele está foragido desde então.  

O juiz titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, Carlos Alberto Garcete de Almeida, foi quem rejeitou o pedido da revogação da prisão na quarta-feira (27). Conforme informações divulgadas pelo Tribunal de Justiça (TJMS), o juiz determina que o suspeito se apresente o mais rápido possível.  

O juiz ainda afirmou que "não vislumbra novos fatos que justifiquem rever a decisão que decretou a prisão preventiva do investigado". Ainda de acordo com a decisão do magistrado, "o crime teoricamente cometido pelo requerente é grave e possui repercussão social muito ampla (feminicídio), motivo pelo qual entendo que a sua colocação em liberdade, no momento, pode colocar em risco a ordem pública".  

O magistrado também argumenta que a prisão preventiva precisa ser mantida, uma vez que da Silva tem aparente reincidência criminal, conforme registros policiais. Ele cometeu o crime um dia depois de ter saído da prisão.  

O CASO 

No dia 15 de setembro, Mayara Fontoura, de 18 anos, foi morta a golpes de tesoura na noite de no bairro Universitário, em Campo Grande. 

Desde então, familiares e amigos suspeitavam do acusado. O crime teria sido motivado por ciúmes. A jovem morava com o irmão, mas estava sozinha no momento do assassinato.  

Na época, uma amiga de Mayara, que preferiu ter sua identidade preservada, a jovem se relacionava com ele desde os 14 anos e vivia sob ameaças do rapaz. 

Leia Também