Domingo, 04 de Dezembro de 2016

educação

Implantação de escolas integrais
em MS é cercada por incertezas

Dúvidas envolvem número de unidades e situação de alunos

29 NOV 2016Por DA REDAÇÃO05h:00

A ampliação das escolas integrais na Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul, em 2017, segue repleta de incertezas.

Conforme a Secretaria de Estado de Educação (Sed), a implantação do período estendido em 12 escolas do estado, sendo oito em Campo Grande e quatro no interior, ainda aguarda análise final do Ministério da Educação.

De acordo com a secretária de Educação, Maria Cecília Amêndola, as propostas ainda precisam passar pelo crivo do Governo Federal, mesmo com o período de pré-matricula já aberto nas escolas estaduais. “Na última sexta-feira encaminhamos todo o projeto para ser analisado em Brasília”, explicou.

Desde o início deste ano, duas escolas da rede estadual passaram a oferecer o serviço na Capital. As escolas Waldemir Barros da Silva, na Moreninha I, e Manoel Bonifácio Nunes da Cunha, no Bairro Tarumã, passaram a aplicar o novo modelo para 635 alunos do Ensino Médio.

Depois de aprovação do MEC, mais oito escolas da Capital, uma em Corumbá, uma em Naviraí, uma em Maracaju e uma em Dourados, passaram a oferecer período estendido. 

*Leia reportagem, de Tainá Jara, na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Leia Também