Domingo, 04 de Dezembro de 2016

CAMPO GRANDE

Detentas fazem perucas e doação
vai para mulheres com câncer

O curso será efetivado no estabelecimento penal

30 NOV 2016Por BRUNA AQUINO12h:28

O Estabelecimento Penal Feminino Irmã Irma Zorzi (EPFIIZ) começou nesta semana a confecção de perucas para doação. O material é produzido pelas detentas do presídio de Campo Grande.

A iniciativa faz parte de uma parceria entre a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), o Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul e a Rede Feminina de Combate ao Câncer. O juiz Albino Coimbra, da 2° Vara de Execução Penal, foi o idealizador do projeto.

A assessoria de imprensa da Agepen divulgou que para começar o trabalho, foi adquirida máquina de costura especializada em perucas, além da compra dos materiais e uma instrutora para orientar as detentas. Todo o recurso foi financiado pelos 10% do salário pagos às presas.

Das internas, dez estão sendo qualificadas para trabalhar em uma oficina dentro do presídio. Elas também vão garantir a diminuição de um dia de pena, quando tiverem trabalhado três dias.

A detenta Andreia da Silva, 32 anos, que é uma das dez que está participando do projeto, disse acreditar que que a inserção dela no curso ajudará no seu retorno ao convívio social. "Fazer o bem sem olhar a quem”, comentou.

Já a representante da Rede Feminina, Dirce Ramos, contou que o projeto ajudará muitas pacientes. “As perucas são recebidas com muita alegria, pois as pacientes elevam sua autoestima e saem de lá com muito mais confiança para continuar seu tratamento.”

O curso prossegue até nessa sexta-feira (2) e na próxima semana as presas começam efetivamente a produzir as perucas de dentro do estabelecimento penal.

Leia Também