Sexta, 24 de Novembro de 2017

Papiros de Lama

Delator de esquema de propina no governo Puccinelli terá que devolver R$ 3 milhões

Caso seja condenado, pecuarista cumprirá prisão domiciliar sem tornozeleira

14 NOV 2017Por GLAUCEA VACCARI16h:44

O delator da Operação Lama Asfáltica, Ivanildo da Cunha Miranda, terá que devolver R$ 3 milhões, em seis parcelas. Compromisso faz parte do acordo de deleção premiada, homologado em agosto deste ano pelo juiz federal substituto da 3ª Vara Federal de Campo Grande, Fábio Luparelli Mgajewski. 

Pecuarista procurou as autoridades para relatar os crimes dos quais participou em conjunto com o ex-governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), em especial sobre a obtenção de benefícios por frigoríficos mediante pagamento de vantagens indevidas às autoridades.

No acordo, Ivanildo se comprometeu a devolver R$ 3 milhões, a título de devolução e ressarcimento, no prazo máximo de dez prestações semestrais. Valores deverão ser corrigidos pela inflação antes do pagamento de cada prestação e deverão ser depositados em conta judicial vinculada à 3ª Vara Federal.

Considerando a relevância dos depoimentos prestados, Ministério Público Federal (MPF) e o Departamento de Polícia Federal ofereceram como benefício ao delator, caso ele seja condenado ao fim do processo, prisão domiciliar sem uso de tornozeleira, devido a condição de saúde dele, que tem diabetes, hipertensão e transtorno misto ansioso/depressivo.

Caso fique constatado que Ivanildo omitiu alguma informação ou prática criminosa, o acordo poderá ser revisto e até rescindido.

Conforme depoimento, pecuarista era operador do esquema de cobrança de propinas durante o governo de Puccinelli. Ele recebia o dinheiro de frigoríficos e empresas, de forma ilícita, e repassava ao então chefe do Executivo Estadual. 

Ex-governador e o filho dele, o advogado André Puccinelli Júnior, foram presos na manhã de hoje, durante a quinta fase da Operação Lama Asfáltica - Papiros de Lama.

Leia Também