Sábado, 18 de Novembro de 2017

destruição

Estrago de chuva obriga prefeituras
a declararem situação de emergência

Em Bonito e Itaquiraí houve temporal nesta semana

10 NOV 2017Por LUANA RODRIGUES17h:56

As chuvas que atingiram Mato Grosso do Sul nesta semana obrigaram dois municípios a declararem situação de emergência. Em Bonito e Itaquiraí, o temporal destruiu pontes, alagou ruas e deixou dezenas de famílias desabrigadas.

De acordo com decreto emitido hoje pelo prefeito Odilson Soares (PSDB), de Bonito, aproximadamente 20 famílias ficaram desalojadas, em decorrência das chuvas. Em dois dias, choveu cerca de 150 milímetros na cidade.

Houve alagamentos e várias ruas ficaram comprometidas com os alagamentos. Pelo menos três pontes terão de ser reconstruídas. Além disso, conforme a prefeitura, obras de contenção de enchentes e redes de drenagem foram prejudicadas.

ITAQUIRAÍ

O prefeito Ricardo Fávaro Neto (PSDB), de Itaquiraí,  também decretou situação de emergência no município, devido as chuvas. O decreto foi assinado ontem, após o levantamento dos danos e prejuízos públicos e privados causados pelo temporal.

“Agora, estamos buscando recursos e apoios dos governos do Estado e da União para a execução das obras de recuperação de estradas, pontes e sistemas de drenagens destruídos. Já estamos fazendo o socorro das famílias afetadas através de ações sociais, com entregas de telhas, colchões e cobertores”, destacou o prefeito de Itaquiraí.

DECRETOS

Com o decreto de emergência, todos os órgãos municipais das duas cidades passarão a atuar sob a coordenação do Comitê Municipal de Proteção e Defesa Civil (COMPDEC), nas ações de resposta ao desastre e reabilitação do cenário e reconstrução.

Ficam dispensados de licitação os contratos para aquisição de bens necessários às atividades de resposta ao desastre, de prestação de serviços e de obras relacionadas com a reabilitação dos cenários dos desastres, desde que possam ser concluídas no prazo máximo de cento e oitenta dias consecutivos e ininterruptos, contados a partir da caracterização do desastre - vedada a prorrogação dos contratos.

O documento autoriza ainda a convocação de voluntários para reforçar as ações de resposta ao desastre e realização de campanhas de arrecadação de recursos junto à comunidade, com o objetivo de facilitar as ações de assistência à população afetada pelo desastre, também sob a coordenação do Comitê Municipal de Proteção e Defesa Civil.

 

Leia Também