Terça, 26 de Setembro de 2017

trânsito perigoso

Vítimas que morreram
em acidente na BR-163 eram amigas

Integrantes de Gol atingido por caminhonete viajam para assentamento

16 SET 2017Por RODOLFO CÉSAR12h:47

As mulheres que morreram em acidente na BR-163 eram amigas e viajam de Campo Grande para a região do Quebra Coco, no assentamento El Dourado.

Anete Martins da Costa, 59 anos, e Marly (não foi possível identificar o nome completo dela) estavam em Gol que foi atingido na traseira por caminhonete Nissan Frontier por volta das 20h40 de sexta-feira (15), a seis quilômetros do distrito de Anhanduí.

Familiar de uma das vítimas contou à reportagem do Portal Correio do Estado que no carro estavam Anete, com o filho, Dyego Martins Modesto, 26 anos, além de Marly e Luiz Modesto de Jesus, 68 anos. O homem é ex-marido de Anete, pai de Dyego e atual esposo de Marly.

Depois da colisão traseira, Anete da Costa ficou presas às ferragens e foi socorrida, mas não resistiu aos ferimentos. O Gol pegou fogo e foi destruído pelas chamas.

O condutor da caminhonete, Regis Fernando de Oliveira Barboza, 53 anos, sofreu ferimentos leves e não precisou de atendimento especializado. Ele foi à Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) do bairro Piratininga durante a madrugada de hoje para prestar esclarecimentos.

O boletim de ocorrência do caso indicava que três pessoas tinham morrido no acidente, mas ao conversar com familiares das vítimas houve informação que perderam a vida na colisão Anete e Marly.

A Polícia Civil foi procurada para dar detalhes do caso, mas não houve retorno. O acidente foi registrado na Depac Piratininga pelo delegado Tiago Macedo dos Santos.

Os corpos das vítimas foram encaminhados para o Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol) pela Pax Nippon.

Leia Também