Domingo, 22 de Outubro de 2017

SOFREU CALADA

Tenente-coronel que matou marido
major era agredida há 2 anos

Afirmação foi feita em depoimento à delegado; vítima nunca registrou B.O.

14 JUL 2016Por GLAUCEA VACCARI E MARESSA MENDONÇA18h:14

Tenente-coronel da Polícia Militar Itamara Romeiro Nogueira, 40 anos, era agredida pelo marido há dois anos, sem registrar boletim de ocorrência. Na última agressão, terça-feira (12), ela atirou e matou o major Valdeni Lopes Nogueira, 44 anos.

Afirmação foi feita pela oficial durante depoimento ao delegado responsável pelo inquérito, Cláudio Zotto, na tarde de hoje, na 7ª Delegacia de Polícia Civil.

Advogado de Itamara, José Roberto Rosa, disse que ela confirmou ao delegado que relacionamento entre os dois era complicado e difícil desde 2009. Tenente-coronel suspeitava de traições, mas nunca conseguiu comprovar. Nas redes sociais, major se declarava como solteiro.

A partir de 2014, as brigas evoluíram para agressões e a policial era constantemente ameaçada, relatou o advogado.

Ainda segundo a defesa, Itamara nunca registrou boletim de ocorrência denunciando as agressões, mas teria comunicado a Polícia Militar. Advogado não soube informar se há documento relatando denúncias.

DIA TRÁGICO

No dia do crime, a briga entre os dois começou porque o major desistiu de viagem de férias do casal. Ela estava marcada para o dia seguinte. Segundo versão de Itamara, ele não apresentou justificativa para a desistência e, durante a briga, começou a agredi-la com socos no rosto e braços.

Além das agressões, Valdeni Lopes teria dito que pegaria arma no carro e que atiraria na cabeça da esposa. Nesse momento, ela fez dois disparos contra ele.

O depoimento começou por volta das 14h30 e terminou perto das 17h30. A tenente-coronel foi encaminhada de volta à Penitenciária Militar da Capital. José Roberto Rosa disse que amanhã (15) entrará na Justiça com pedido de revogação da prisão preventiva.

CHEGADA DE TENENTE-CORONEL NA DELEGACIA

Leia Também