Sábado, 03 de Dezembro de 2016

SEU BOLSO

Setor hortifrúti registra alta nos preços
de até 40% em Campo Grande

Alimentos podem ter novos aumentos até o fim do ano

13 OUT 2016Por DA REDAÇÃO05h:00

A menos de 80 dias para o fim do ano, período tradicionalmente caracterizado pelo aumento de consumo e forte oscilação de preços dos alimentos no País, frutas, verduras e legumes já começam a ficar mais caros nos principais polos de compra do Estado, como Campo Grande. Somente neste mês, itens comercializados nas Centrais de Abastecimento de Mato Grosso do Sul (Ceasa-MS) tiveram alta de até 40%, considerando o período entre os dias 3 e 7 de outubro, em que foi realizado comparativo de preços mais recente pela empresa. 

O maior porcentual de aumento de preços foi constatado para o quiabo — que saltou de R$ 3,33 para R$ 4,67 o quilo, na semana de 3 a 7 de outubro —;  seguido do mamão havaí (papaia), de R$ 5,63 para R$ 7,50 (33,33%), pimentão verde, de R$ 2,92 para R$ 3,33 (14,17%) e batata doce (16,67%), de R$ 2,46 para R$ 2,80 o quilo. Também apresentaram aumentos expressivos a goiaba — o quilo da fruta foi de R$ 4,00 para R$ 4,50 — e a cebola, “vilã” do ano passado, de R$ 0,80 para R$ 0,90. Os dois itens tiveram, cada um, alta de 12,5%.

(*) A reportagem, de Daniella Arruda, está na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

 

Leia Também