Quarta, 28 de Junho de 2017

DILÚVIO

Reconstrução de estragos de chuva
precisa de equipe com 200 pessoas

Danos causados na Gury Marques e região das Moreninhas foram grandes

20 ABR 2017Por RODOLFO CÉSAR18h:46

Será preciso uma força-tarefa com pelo menos 200 trabalhadores para conseguir recuperar danos causados pela chuva em Campo Grande. A Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos começou hoje o trabalho de conserto, que deve durar pelo final de semana.

Ainda será preciso realizar a limpeza de bocas de lobo para permitir que a chuva que deve cair neste feriado não cause mais danos.

Na tarde de ontem (19), choveu 159 milímetros. Essa precipitação estava prevista para os 30 dias de abril, divulgou a Prefeitura de Campo Grande. Na região das Moreninhas, entre dia 1º e ontem, houve 280 milímetros de chuva. 

“Desde 1962, ou seja há 55 anos, que não chovia tanto no período”, afirmou Natálio Abrão, da unidade de meteorologia da Uniderp.

A enxurrada arrastou blocos de asfalto, houve queda de árvores, tampas de poços de visita foram arrancados bem como grelhas de bocas de lobo e em várias ruas aconteceu afundamento de pista.

Uma das áreas mais danificadas também foi no bairro Cidade Morena, onde às margens da Avenida Gury Marques formou-se uma cratera depois que a tubulação de drenagem foi arrastada.

O prefeito Marcos Trad e o secretário de obras, Rudi Fiorese, visitaram pontos críticos. Um deles foi na Rua Fraiburgo, que dá acesso às Moreninhas. O pavimento foi removido e precisa ser substituído. Será preciso de pelo menos três dias de estiagem para a obra ser realizada.

"Será feito um serviço emergencial para garantir plenas condições de tráfego", explicou o chefe da Divisão de Manutenção de Vias, Edvaldo Aquino, sobre a necessidade de intervenção. “Enquanto o solo estiver úmido, não há como aplicar massa asfáltico e garantir durabilidade do pavimento”, completou.

OBRAS INACABADAS

A prefeitura divulgou que o sistema de drenagem e controle de enchentes na Vila Cidade Morena, que começou a ser implantado em 2012 e paralisou em 2014, agravou a situação.

"A tubulação, junto com as bocas de lobo, já foram implantadas numa  parte do bairro, mas não pode ser conectada porque falta fazer a drenagem no trecho antes de desaguar no Córrego Gameleira, que atravessa a  Gury Marques. O projeto foi orçado em R$ 3,2 milhões, mas as planilhas terão de ser atualizadas, porque são valores calculados em 2014", informou nota do governo municipal.

 
  • Cratera na Avenida Gury Marques. Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado
  • Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado
  • Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado
  • Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado
  • Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado
  • Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado
  • Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado
  • Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado
  • Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado
  • Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado
  • Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado
  • Foto: Bruno Henrique/Correio do Estado

Leia Também