Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Petruus II

Diretor de sindicato é preso em
operação contra pornografia infantil

PF cumpriu 12 mandados de busca e apreensão na Capital e em Bonito

30 NOV 2016Por ALINY MARY DIAS E RENAN NUCCI11h:32

Duas pessoas foram presas hoje em Campo Grande durante operação da Polícia Federal (PF) contra pornografia infantil. Um dos detidos em flagrante é diretor de sindicato e o outro foi preso em casa, no bairro Moreninhas.

Desde às 6 horas de hoje equipes da PF cumprem 12 mandados de busca em apreensão que fazem parte da operação Petruus II. Onze deles foram cumpridos na Capital e um em Bonito.

Segundo o delegado que comandou a investigação, Marcelo Alexandrino de Oliveira, a operação de hoje é desdobramento de ação feita em julho na Capital e que prendeu um cadeirante que abusava da sobrinha desde que ela tinha 2 anos de idade.

O homem tinha material pornográfico infantil em computador e a PF iniciou investigação sobre a origem das imagens. Denúncias anônimas e informações repassadas por instituição americana que monitora compartilhamento de material pornográfico ajudaram a polícia.

Ao todo, 12 pessoas foram identificadas por baixar e compartilhar o material. Nesta manhã, residências dos investigados foram alvo da PF, que apreendeu computadores, CDs, DVDs, pen drive e HDs. Entre os bairros estão Moreninhas, Leblon e Piratininga.

Em dois locais houve a prisão dos investigados. Em um dos casos, diretor de sindicato - que o delegado não revelou o nome – foi detido em flagrante porque os agentes puderam constatar na hora que o computador tinha material pornográfico. Outro foi preso porque estava com maconha.

Os outros 10 alvos da operação não foram presos porque os computadores e unidades de armazenamento apreendidos ainda terão de passar por perícia para constatar se há imagens ou vídeos de crianças.

A expectativa é que a perícia nos aparelhos ocorra em até 15 dias e a partir daí a PF vai definir se pede prisão preventiva dos investigados.

O delegado responsável pela investigação alerta que as investigações continuam e que mais pessoas que compartilham imagens podem ser alvos. “Você, pedófilo que compartilha ou armazena imagens de crianças, sua hora vai chegar, vamos entrar na sua casa”, completou o delegado. 

Leia Também