Terça, 21 de Novembro de 2017

drenagem

Prefeitura prevê prazo 'apertado' para
obra que evita enchente no Prosa

Marcos Trad estima que intervenção ficará pronta até o primeiro trimestre

26 SET 2017Por BÁRBARA CAVALCANTI17h:05

Estimativa do prefeito Marcos Trad (PSD) é de que obra de drenagem no Córrego Prosa, que passa pela Avenida Ricardo Brandão, em Campo Grande, fique pronta até o primeiro trimestre do ano de 2018.

O prazo estipulado pode ser considerado curto por conta de questões climáticas, de estrutura e burocráticas. Somente com licitação, que ainda não foi lançada, são pelo menos 60 dias de prazos legais a serem cumpridos.

Em agenda pública na manhã de hoje (26), o prefeito afirmou que ainda não há licitação para todos os locais que precisam de reparos, mas que atividades estão em andamento e devem ficar prontas até o período de chuvas mais intensas, no início do ano que vem.  

"A (drenagem) do Córrego Prosa já está orçada em R$ 1,2 milhão, mas ainda não foi lançada licitação. Estão sendo feitos reparos, mas até as chuvas mais intensas de janeiro, fevereiro e março, tudo vai estar pronto", prometeu.

A previsão meteorológica prevê início do período de chuvas agora na primavera e a Prefeitura de Campo Grande corre o risco de ter de recorrer novamente a medidas de emergência para dar conta dos estragos causados pelas enchentes.  

Planejamento antecipado, que seria beneficiado pelo período de estiagem excepcionalmente longo neste ano, não ocorreu e a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviço Público (Sisep) recorreu a medidas paliativas de drenagem e com baixos investimentos próprios para enfrentar as precipitações.  

Além de não haver novas obras para dar eficácia ao sistema de drenagem da Capital, alguns locais não receberam qualquer manutenção e foram praticamente abandonadas como é o caso do Córrego Prosa, que cruza as Avenidas Ricardo Brandão e Fernando Corrêa da Costa, e que agora a prefeitura pretende concluir até o começo do ano que vem.

Em um dos trechos da Avenida Ricardo Brandão, a degradação das margens ocorreu gradativamente e o desmoronamento está próximo da pista. A situação é tão grave que chegou a ser motivo para o ex-prefeito Alcides Bernal (PP) decretar estado de emergência entre o final de 2015 e início de 2016.  

Neste trecho, não há qualquer medida paliativa em execução. Conforme a resposta da prefeitura à reportagem, divulgada na edição de hoje, “para os próximos dias” está programada manutenção das margens que deve ser realizada em “vários pontos do córrego por equipes próprias da Sisep”.  

Na nota também informava que processo de licitação está sendo encaminhado para “contratação de uma empresa que vai recuperar trechos do gabião no Córrego Prosa que estão em situação mais crítica”.   

Leia Também