Domingo, 19 de Novembro de 2017

Edital

Prefeitura habilita 17 empresas para retomar serviços de tapa-buraco

Três interessadas foram desqualificadas e uma foi parcialmente inabilitada

28 SET 2017Por JONES MÁRIO10h:36

A Diretoria de Compras e Licitação (Dicom) da Prefeitura de Campo Grande habilitou 17 das 21 empresas de engenharia concorrentes em edital para contratação de serviços de tapa-buraco. Três interessadas foram desqualificadas e uma foi parcialmente inabilitada.

Segundo aviso, publicado na edição desta quinta-feira (28) do Diário Oficial do município (Diogrande), as empresas declaradas habilitadas são Usimix, EBS – Empresa Brasileira de Saneamento; Construtora Alvorada; Gradual Engenharia e Consultoria; Anfer Construções e Comércio; Pavitec Construtora; Evento Construtora de Obras, Engepar Engenharia e Participações; Diferencial Serviços e Construções; Infrater Engenharia; Construtora Rial; Enerpav G.S.; Wala Engenharia; CGR Engenharia; MR & JR Locação de Máquinas e Equipamentos; Teccon S/A Construção e Pavimentação e Via Venetto Construtora de Obras.

Por sua vez, a empresa Age Comercial foi considerada inapta apenas para o lote 4, correspondente aos serviços na região do Imbirussu. Já Olipol Engenharia e Comércio, Avance Construtora e Manumovel Manutenção e Conservação de Rodovias tiveram suas propostas desqualificadas pela Dicom. As empreiteiras inabilitadas têm cinco dias úteis para apresentar recurso contra a medida.

R$ 43 MILHÕES
A licitação para manutenção de vias públicas em andamento prevê R$ 43.826.435,98 para 12 meses de tapa-buraco nas sete regiões de Campo Grande. Inicialmente, a previsão orçamentária era de R$ 47.446.916,16, mas o valor foi reduzido em R$ 3.620.480,18.

No Centro, serão investidos R$ 5.242.697,00; no Anhanduizinho (sul), o valor dispensado será de R$ 8.280.969,26; para a região do Bandeira (sudeste), R$ 7.299.667,59; para o Imbirussu (oeste), R$ 6.161.325,89; para a região do Lagoa (sudoeste), R$ 5.282.414,00; para o Prosa (nordeste), R$ 6.132.151,87; e para o Segredo (norte), R$ 5.427.210,37.

Por hora, o serviço de tapa-buraco em Campo Grande é realizado por três equipes próprias da prefeitura. Até quarta-feira (27), 30 equipes de empresas privadas realizavam os trabalhos por meio de contratos emergenciais.

As empreiteiras que realizavam os serviços de forma permanente foram contratadas em 2010, porém, os contratos não poderiam mais ser renovados e foram encerrados em março deste ano.

Leia Também