Quarta, 22 de Novembro de 2017

SAÚDE

Para repor estoque de medicamentos, Capital vai gastar R$ 18,33 milhões

Apesar de valor, quantidade não chegará à totalidade necessária

18 MAR 2017Por TAINÁ JARA05h:00

Diante da falta de itens farmacêuticos, a Prefeitura de Campo Grande vai investir R$ 5.795.172  a mais em recursos na compra de medicamentos em 2017. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), o investimento, que passará de R$ 12.534.828 para R$ 18.330.000,00 , permitirá recompor 90% do estoque considerado necessário.

Em janeiro deste ano, quando o prefeito Marcos Trad assumiu a prefeitura, o estoque nas farmácias das unidades de saúde e na Central de Abastecimento Farmacêutico (CAF) estava com apenas 30% do número de medicamentos considerado ideal. Foi constatada a falta de 320 medicamentos. 

O reabastecimento começou no início desta semana e com a remessa entregue hoje, o estoque deve subir para 71%. Conforme a Sesau, cinco medicamentos foram repostos na última  segunda-feira. São eles: Cetoprofeno, que é anti-inflamatório (12 mil cartelas); Imipramina, que é antidepressivo (100 mil cartelas); Levozine, usado contra náuseas (100 mil cartelas); Nitrapan, contra distúrbios do sono (36 mil cartelas) e morfina, que é um analgésico potente (200 frascos). A previsão é que o estoque esteja normalizado em até 30 dias, devido a entraves burocráticos. 

(*) A reportagem completa está na edição de hoje do jornal Correio do Estado.

Leia Também