Terça, 17 de Outubro de 2017

Inquérito

Oito vereadores estão na mira do MPE por falta de transparência nos gastos

Inquérito foi aberto e vereadores deverão detalhar gastos como a verba de gabinete

15 AGO 2015Por ALINY MARY DIAS11h:01

O Ministério Público Estadual (MPE) abriu inquérito civil para apurar o descumprimento da Lei de Acesso à Informação por oito vereadores de Campo Grande. Na prática, os vereadores não disponibilizam, no Portal da Transparência da Câmara, o detalhamento de como os valores recebidos são gastos.

Na publicação do Diário Oficial do órgão de segunda-feira (17), mas já disponível no site do MPE, consta que quem vai comandar a investigação é o promotor Henrique Franco Cândia, da 31ª Promotoria de Justiça.

Os vereadores alvo da investigação são: Airton Saraiva (DEM), Waldecy Batista, o Chocolate (PP), Magali Picarelli (PMDB), Paulo Pedra (PDT), Otávio Trad (PMDB), Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSB), Valderlei Cabeludo (PMDB). O 8º investigado é José Orcírio (PT), que não está mais na Casa de Leis.

VALORES

No Portal da Transparência da Câmara, é possível consultar os valores que os vereadores ganham bruto e líquido, no entanto, não há especificação de como eles gastam os valores recebidos para custear gabinete e as ações.

Os vereadores devem ser notificados da abertura da investigação na próxima semana.

 

Leia Também