Domingo, 23 de Julho de 2017

MONTARAM ACAMPAMENTO

"Não vai abalar minha convicção", diz Marun sobre protesto e acampamento contra PEC

Manifestantes acamparam em frente ao condomínio onde deputado mora

15 MAR 2017Por GLAUCEA VACCARI16h:15

Deputado federal Carlos Marun (PMDB) classificou acampamento de manifestantes em frente ao condomínio onde ele mora em Campo Grande como “protesto covarde” e disse que movimento não muda seu posicionamento favorável a aprovação do projeto de Reforma da Previdência Social.

Marun preside a Comissão Especial que analisa a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287, do Governo Federal, que prevê mudanças na Previdência Social. 

Centenas de manifestantes que participam de protesto nacional contra a PEC estão acampados na entrada do Parque Residencial Dahma II, onde mora o deputado, e previsão é que fiquem no local até domingo.

Peemedebista disse que o acampamento tem objetivo de constranger sua esposa, filho e vizinhos.

“Isso não vai abalar nem diminuir minha convicção de que é momento de pensar no Brasil. Os senhores que estão acampados estão pensando nas suas aposentadorias, eu também estou pensando nelas, porque eu luto para que elas possam ser pagas, mas é preciso neste momento que pessoas pensem no Brasil. Eu não vou desistir disso. A reforma da previdência é necessária e eu vou lutar para que ela aconteça”, disse o deputado. 

ATOS

Em todo Brasil, trabalhadores protestam nesta quarta-feira contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287. Entre as alterações está a aposentadoria com mais idade para homens e mulheres.

Em Mato Grosso do Sul, há uma particularidade em relação aos trabalhadores da educação, que iniciam greve a partir de hoje. A reivindicação é por cumprimento de piso salarial nacional e a previsão é que rodada de negociação com o Governo e a Prefeitura da Capital ocorra no fim da semana.

Leia Também