Quarta, 26 de Abril de 2017

REGIÃO PÉLVICA

Mulher que teve agulha esquecida no corpo após cirurgia será indenizada em R$ 25 mil

Mulher passou a sentir dores e exame constatou agulha na região pélvica

20 MAR 2017Por GLAUCEA VACCARI11h:25

Mulher que teve agulha esquecida no corpo depois de procedimento cirúrgico será indenizada em R$ 25 mil pelo hospital e médica responsável pela cirurgia. Decisão é da 10ª Vara Cível de Campo Grande.

De acordo com o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, paciente ajuizou ação alegando que foi internada no dia 10 de abril de 2001 para realização de cirurgia plástica no períneo. Três dias depois de receber alta médica, ela passou a sentir dores constantes.

Em maio de 2005, ela se submeteu a exame radiológico, onde foi constatada a presença de uma agulha na região pélvica. Diante da situação, mulher pediu indenização por danos morais e materiais.

Em sua defesa, hospital alegou que não haviam provas de que o material cirúrgico foi esquecido durante cirurgia realizada em 2001. Já a médica afirmou que não participou da cirurgia, pois estava em curso de pós-graduação em São Paulo.

Juíza titular da vara, Sueli Garcia Saldanha, entendeu que a localização da agulha e o fato dela ter sido detectada depois da cirurgia são provas de que o material foi deixado no corpo da mulher em decorrência do procedimento realizado, tendo em vista que paciente não passou por outra cirurgia.

Sob a responsabilidade da médica, magistrada afirmou que ao assinar documento como responsável pela cirurgia, ela atuou na intervenção, de modo que também responde pela conduta. Quanto aos demais integrantes da equipe médica, juíza entendeu que não há elementos suficientes para responsabilizá-los.

Dessa forma, magistrada negou o pedido de danos materiais, pois mulher não comprovou prejuízos, e julgou procedente o pedido de danos morais, pois paciente passou por vários problemas desde a constatação da presença da agulha, agravado pelo fato da extração ser possível apenas com nova cirurgia. 

Leia Também